Os Servidores da Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de SP) entraram em greve à meia noite desta quarta (12). Segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Água, Esgoto e Meio Ambiente (Sintaema-SP), o movimento paredista se dá pela intransigência do governo Doria em aplicar os reajustes salariais de 2020 e 2021.

Em ato na porta da companhia, os trabalhadores se manifestam com faixas e palavras de ordem. “Doria, pague nossos reajustes”, cobram os funcionários grevistas.

Justiça – Os salários dos Servidores estão corroídos há dois anos pela inflação. “É um absurdo o que este governo impõe à categoria. O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) decidiu em favor dos trabalhadores, mas o governador se nega a cumprir as sentenças”, afirma o presidente do Sintaema, José Faggian.

Segundo o dirigente, a luta segue rumo à vitória. “Indignação é o sentimento que define esse momento. E o Sintaema seguirá firme na luta até que os reajustes sejam pagos”, ressalta Faggian.

Recursos – De acordo com o Sindicato, o governo afirma não ter dinheiro para aplicar os reajustes. A afirmação, porém, é falsa. “Nos reunimos com a presidenta da Cetesb e ela confirmou que a empresa tem recursos pra pagar os reajustes de 2,6% referente a 2020 e 7,31% referente a 2021. Não estamos pedindo nada, estamos cobrando o que nos é direito”, explica o sindicalista.

Apoio – O presidente da CTB-SP, Renê Vicente, esteve presente no piquete da greve. Segundo o dirigente, a greve é justa e é uma resposta contra o descaso do governo. “A CTB está com o Sintaema e vai lutar até garantir que os direitos da categoria sejam respeitados”, ele diz.

Vídeo – Clique aqui e assista a vídeo do ato realizado nesta quarta em frente à Cetesb.

MAIS – Acesse o site do Sintaema-SP.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui