Após os engenheiros da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) aprovarem a proposta patronal, em assembleia virtual, o Sindicato dos Engenheiros no Estado de SP (Seesp) assinou o Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) e o Programa de Participação nos Resultados (PPR) de 2022.

Para o presidente do Sindicato, Murilo Pinheiro, a companhia constitui uma base importante da categoria. Ele comenta: “A CPTM é uma das várias empresas com as quais o Seesp negocia todos os anos e atua num setor essencial. Muito importante assinar o Acordo, para a garantia da defesa dos direitos dos profissionais”.

Ao todo, são 282 engenheiros que trabalham na CPTM. Eles conquistaram reajuste salarial de 10,35%, valor do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) dos últimos 12 meses, com pagamento dos valores retroativos à data-base de 1º de março. Também mantiveram as demais cláusulas preexistentes, a renovação dos Aditivos e assinatura do PPR 2022.

“Além dessas conquistas, segue em negociação, com perspectiva de solução satisfatória, a garantia do Piso Salarial, conforme a Lei 4.950-A/1966, e o estabelecimento de um Plano de Cargos e Salários para os engenheiros”, explica Murilo Pinheiro. Ele completa: “O diálogo entre empregador e empregado, por meio do Sindicato, foi essencial para essa conquista”.

Contribuição – A Assembleia aprovou também contribuição assistencial em decorrência do Acordo: 4,66% do salário-base reajustado, a serem descontados a partir da folha de abril de 2022, em duas parcelas mensais, iguais e consecutivas de 2,33%; ou 2,59% do salário-base reajustado, a ser descontados a partir da folha de abril de 2022, em duas parcelas mensais iguais e consecutivas de 1,29% aos sócios em dia, por decisão da diretoria do Seesp.

MAIS – Acesse o site do Sindicato dos Engenheiros no Estado de São Paulo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui