Após forte mobilização feita pelo Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil de São Paulo (Sintracon-SP), a categoria conquistou reajuste salarial de 12,47%, valor que repõe as perdas causadas pela inflação nos últimos 12 meses.

A assinatura da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) foi na quinta (12), na sede do patronal (Sinduscon-SP). A data-base da categoria é 1º de maio.

“A negociação foi difícil. Durou cinco meses. Sem dúvida nenhuma esse acordo foi um grande avanço, ainda mais pelo momento que passamos. Mas devemos continuar nos empenhando para ampliar as conquistas aos trabalhadores da construção civil”, declara Antonio de Sousa Ramalho, o Ramalho da Construção, presidente do Sintracon-SP.

O aumento de 12,47% vale para todos os trabalhadores da categoria que recebem salário de até R$ 6.748,20. Quem ganha acima desse valor terá um reajuste de R$ 505,44. Ramalho comemora: “Conseguimos uma das melhores negociações dos últimos anos”.

Ramalho da Construção assina acordo com o presidente do Sinduscon-SP

Conquistas – Além do reajuste, os trabalhadores da construção civil mantiveram as cláusulas sociais da Convenção Coletiva de Trabalho. Veja abaixo os principais pontos:

  • Recomendação da Padaria na Obra, agora prevista na Convenção Coletiva. Já são mais de 200 obras com o projeto.
  • Correção no Seguro de Vida, que é obrigatório para todos trabalhadores, que vai para R$ 61.991,62.
  • Aumento no vale-alimentação para R$ 391,40 por mês, e no vale-refeição para R$ 27,56 por dia trabalhado.
  • Permanência do café da manhã com dois pães com margarina e queijo, um café com leite (pingado) e frutas da época para desjejum na obra.
  • Manutenção do lanche da tarde, com um pão com margarina e queijo e um café com leite (pingado).
  • Assistência do Seconci-SP para todos trabalhadores.

MAIS – Acesse o site do Sintracon-SP.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui