O Sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari (BA) denuncia que, após o fechamento do Complexo da Ford na cidade há um ano, as empresas satélites da região, que forneciam peças para a montadora, também fecharam as portas. Diante do fato, a entidade dos trabalhadores busca acordo de indenização.

Segundo informa o Sindicato, desde o primeiro momento houve negociação com a Ford para que os funcionários terceirizados fossem contemplados pela negociação coletiva de acordo de indenização.

Em matéria veiculada no Valor Econômico, só no complexo da montadora em Camaçari foram perdidos cerca de 12 mil empregos. A perda na arrecadação municipal foi de R$ 50 milhões anuais.

Justiça – A entidade dos trabalhadores informa que acionou a Justiça em março de 2020 para pedir a reintegração dos trabalhadores enquanto as empresas não aceitassem negociar as indenizações.

Ao mesmo tempo, o Sindicato obteve apoio do Ministério Público do Trabalho, que acompanha o caso e já chegou a ajuizar duas ações sobre a ausência de negociação coletiva.

Os Metalúrgicos de Camaçari reforçam o compromisso de atuar pelo bem da categoria e, principalmente, pelos ex-funcionários e terceirizados da Ford. “A entidade vem se empenhando, através do oferecimento de cursos de qualificação, pra que esses trabalhadores retornem o quanto antes ao mercado de trabalho”, informa a Nota.

MAIS – Acesse o site do Sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui