Segue a luta dos Metroviários para manter a sede do Sindicato. Agora, os trabalhadores ganharam importante apoio. As Centrais Sindicais se reuniram no dia 5 com a secretária de Desenvolvimento Econômico do Estado de SP, Patricia Ellen. Na ocasião, foram tratados também temas de interesse da sociedade e dos trabalhadores.

Durante a reunião, Patricia Ellen informou que a reintegração da sede do Sindicato está suspensa por 90 dias. A determinação partiu do governador João Doria. Durante o período, a entidade sindical e o governo do Estado tentarão buscar uma solução para o conflito.

Em Nota, as Centrais Sindicais afirmam que estão à disposição para mediar a negociação entre governo e Sindicato, a fim de encontrar uma solução que não dê prejuízo aos trabalhadores e a entidade representativa.

O coordenador-geral do Sindicato dos Metroviários de SP, Wagner Fajardo, afirma que os trabalhadores seguirão na resistência para manter a sede. “Nossa intenção é manter esse patrimônio, que é uma conquista de toda a categoria. Aqui é nossa casa”, afirma o dirigente.

Sede – Os terrenos que abrigam a sede do Sindicato e a área de lazer foram cedidos em 1980, em sistema de comodato, espécie de empréstimo sem custos. O prédio, inaugurado em 1990, foi construído com as contribuições dos trabalhadores.

No entanto, dia 28 de maio, em plena Campanha Salarial dos Metroviários, o governo João Doria promoveu leilão para a venda do local. “É claramente uma retaliação. Uma tentativa de dificultar a organização e a ação sindical”, afirma Fajardo.

MAIS – Acesse o site dos Metroviários.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui