Dirigentes das Federações dos Químicos, da Força (Fequimfar) e da CUT (Fetquim) entregaram sexta (10) a pauta de reivindicações da categoria aos representantes patronais do Grupo CEAG-10, da Fiesp. A entrega foi realizada por videoconferência e teve a participação de cerca de 100 lideranças sindicais.

Edson Dias Bicalho, secretário-geral da Fequimfar e presidente do Sindicato dos Químicos de Bauru e Região, informa o rito. “A entrega da pauta dá início ao processo de negociação coletiva dos trabalhadores do setor químico, plástico e de fertilizantes, com data-base em 1º de novembro”, explica.

Já o presidente da Fetquim, Airton Cano, conta que as entidades estão engajadas pela renovação da Convenção Coletiva. “Por isso, reforçamos a importância da entrega conjunta da pauta de reivindicações e o nosso compromisso pela construção de um processo de negociação forte e vitorioso”, destaca o dirigente cutista.

Reflexos – Segundo Antonio Silva Oliveira, presidente dos Químicos de Guarulhos e também da Confederação Nacional da categoria (CNTQ), a Campanha Salarial no Estado de SP auxilia e serve como parâmetro as negociações nas outras regiões do Brasil.

“Neste ano, temos um desafio ainda maior de avançar e valorizar o poder de compra dos trabalhadores, bem como a manutenção de nossas conquistas”, avalia Silvan.

Pauta – Os Químicos buscam reajuste contendo a reposição integral da inflação, medida pelo INPC entre novembro de 2020 a outubro de 2021, estimada em 9,62% mais aumento real de 2% – totalizando 11,62%.

Além disso, os sindicalistas pedem um reajuste no Piso Salarial com 4% de aumento real, recomposição mais aumento real de 2% para o Piso de Técnico Químico e Participação nos Lucros e/ou Resultados (PLR) no valor de dois pisos salariais.

MAIS – Acesse os sites da Fequimfar e Fetquim.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui