No dia 12, dirigentes da Fequimfar (Federação dos Trabalhadores nas Indústrias Químicas e Farmacêuticas do Estado de SP), filiada à Força Sindical, realizaram o Seminário de Negociação Coletiva do setor. O evento, que aconteceu de forma presencial na Colônia de Férias dos Químicos (Praia Grande), abre a Campanha Salarial 2021.

Os sindicalistas presentes aprovaram uma pré-pauta de reivindicações. Agora, os trabalhadores deverão decidir em assembleias se as exigências para o setor patronal serão as definidas na reunião do dia 12.

Presidente da Fequimfar, Serginho afirma que os Químicos vão lutar pelo aumento real

Pré-pauta – Os Químicos querem a reposição integral da inflação, medida pelo INPC, de novembro de 2020 a outubro de 2021, estimado em 8,83%. Esse índice deverá ser utilizado no reajuste salarial, no Piso comum e técnico e também na PLR.

Além disso, os dirigentes estabeleceram que irão tentar aumento real. Neste caso, seriam aplicados 2% no reajuste, 4% no Piso comum e 2% no Piso Técnico Químico.

Sérgio Luiz Leite, o Serginho, presidente da Fequimfar, destacou que os trabalhadores vão negociar com o setor patronal em meio a um cenário de ataques à classe trabalhadora. “A atual conjuntura do País foi agravada pela pandemia da Covid-19. A categoria está fazendo a sua parte e, diante disso, a luta é pelo reajuste e aumento real”, afirma o dirigente.

Próximos passos – Agora, os sindicalistas têm até o dia 9 de setembro para apresentar a pré-pauta a todos os trabalhadores do setor. Caso seja aprovada pela categoria, as reivindicações serão entregues ao setor patronal após assembleia geral, no dia 10 de setembro.

MAIS – Acesse o site da Fequimfar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui