A Covid-19 afeta muito além do sistema pulmonar. Ela chega a muitos órgãos. Isso pode deixar sequela no paciente. A melhor forma de tratá-las, porém, é praticando exercícios físicos. Quem afirma é o pneumologista Fernando Santella.

O dr. Fernando foi o convidado da Live Metalúrgica desta semana, programa que vai ao ar toda quinta-feira na página do Sindicato dos Metalúrgicos de Guarulhos e Região.

O pneumologista, que também tem especialidade em medicina intensiva, informa: “Memória, raciocínio, fraqueza e dor de cabeça são sequelas da Covid-19 apresentadas. A melhor alternativa de cura é com exercício físico. Exercitar o cérebro também ajuda a combatê-las”, conta.

Segundo o dr. Fernando Santella, os sintomas vão se modificando. “Ano passado, a Covid deixava as pessoas sem olfato e sem paladar. Coisa que já não acontece com a variante Delta. O vírus foi se modificando ao longo do tempo, aumentando a capacidade de contaminação e gravidade dos sintomas”, alerta.

Dr. Fernando Santella é entrevistado pelo jornalista João Franzin, na Live Metalúrgica

O médico conta que foi infectado. “Tive a doença de forma moderada e fiquei isolado durante 14 dias. Consegui sair, mas até hoje sinto um pouco de sequela da Covid. Cada indivíduo apresenta um tipo de sequela”, explica.

Proteção – Apesar do avanço na vacinação, o dr. Fernando conta que o álcool gel e o uso de máscara ainda são mais efetivos. “A máscara é fundamental. O álcool, acima de 63%, desnatura a proteína da membrana e mata o vírus”, afirma.

Vacina – Ele reafirma, também, a importância da vacina. Segundo o pneumologista, não tem outra forma pra acabar com a pandemia senão a imunização. “Nenhuma vacina é 100% eficaz. Os pacientes têm sido internados de forma menos grave depois da primeira dose e, principalmente, a segunda. É o que vai salvar a vida das pessoas”, conclui.

Assista – Clique aqui e assista à entrevista na íntegra.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui