Planejamento, Logística ou ambos? – Por Oswaldo Augusto de Barros

0
122

Creio que não exista forma de termos em um país continental, sucesso na Vacinação contra COVID-19, sem que planejamento e logística estejam intimamente associados.

A União Europeia, planejou vacinar 70% de toda sua população até o final do verão boreal (agosto), vacinas essas comercializadas em junho de 2020. Ameaça impedir a exportação do fármaco. Sua encomenda é de 2 bilhões de doses para sua população de 500 milhões de habitantes.

Já aqui, onde até poucos dias a vacina chinesa poderia te transformar em jacaré, forma grotesca de lidar com coisa séria, mal temos realmente contratado o suficiente para atender a primeira dose, da primeira fase da vacinação, ou seja, os trabalhadores da saúde.
No site do Ministério da Saúde, o que temos é a declaração do senhor ministro, que temos comprometido 302 milhões de doses, sendo: 302,9 milhões de doses via FioCruz / AstraZeneca no primeiro semestre e 100,4 milhões e 160 milhões no segundo semestre, além de 42,5 milhões de doses do consórcio Covax Facility. De real ??????

O professor Dimas Tadeu Covas, preocupado com a manutenção da linha de produção da Coronavac pelo Instituto Butantan onde é Diretor, questionou o Ministério da Saúde sobre as negociações para a entrega imediata de mais IFA para novas vacinas, já que o contrato indica prazo final para manifestação final de maio deste ano. Resposta: No final do prazo nos manifestaremos.

No dia 27 de janeiro, 10 dias após a distribuição foram aplicadas 1 milhão vacinas no Brasil.

Penso que estão se esquecendo que todos os testes foram feitos com a aplicação de duas doses para cada pessoa, existe a necessidade, pelo menos assim foram todos os testes clínicos, da aplicação de duas doses.

O ministro da saúde nada fala. Segundo o IBGE a nossa população chega a 210 milhões de brasileiros. Usando esse planejamento e essa logística, demoraremos 2.100 dias para concluir a primeira fase da vacinação, ou seja, a primeira dose, se é que o IFA chegará ao Instituto Butantan ou à Fundação Oswaldo Cruz.

Não existe planejamento, muito menos logística que funcione quando falta o principal: previsão de chegada das vacinas. Esse é o preço de não terem, no momento certo, apostado na Ciência e em nossos Cientistas.

O povo terá que optar entre retornar ao trabalho para não morrer de fome ou perder a saúde ou até mesmo a vida para uma Pandemia que tende a uma estabilidade futura se os cuidados forem tomados.

O Movimento Sindical Brasileiro, debatendo profundamente o tema com especialistas, buscará formas de sensibilizar a sociedade sobre a falta de controle sobre o caos que se encontra a saúde no Brasil e usará de todos os meios para atingir resultados práticos, ou seja, a imunização do povo Brasileiro.

Triste realidade Brasileira, você é fundamental nesta luta, exija o seu direito à vacinação, para que você tenha um retorno ao novo normal, evitando assim paralisação da Economia, ou ainda pior, da nossa vida.