O coordenador-geral da Federação Única dos Petroleiros, Deyvid Bacelar, afirmou que, caso avance a intenção de privatizar a Petrobras, o presidente Jair Bolsonaro irá ver a maior greve da história da categoria. Os trabalhadores estão unidos pela defesa da empresa e pela soberania nacional.

Segundo Deyvid, o anúncio de privatização, por parte do governo, é mais uma tentativa de desviar a atenção da atual política de preços, que há tempos provocam explosão nos preços dos combustíveis e ainda puxam a inflação pra cima. Para o dirigente, privatizar não solucionar os problemas dos preços ao consumidor.

“Ao invés de buscar um bode expiatório pra enganar a população, fingindo preocupação, Bolsonaro deveria assumir o papel de mandatário e acabar com essa política de preços covarde, que leva o povo cada vez mais à miséria”, afirma o coordenador-geral da Federação dos Petroleiros.

Greve – Deyvid Bacelar também lembra que a categoria já aprovou estado de greve, caso o tema volte a rondar a estatal. “Bolsonaro, repito: você vai ver a maior greve da história da categoria petroleira caso ouse pautar a privatização da Petrobras”, ressalta.

Responsabilidade – Para os petroleiros, a responsabilidade pelas seguidas altas nos combustíveis é do presidente da República. Isso porque é o chefe do Executivo quem indica o presidente da estatal, assim como os integrantes do Conselho Administrativo.

Para Federação dos Petroleiros, se fosse da vontade política de Bolsonaro, os preços dos combustíveis poderiam ser diferentes, caso houvesse mudança na política de paridade de importação.

MAIS –Site da FUP.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui