Após intensa mobilização dos trabalhadores da Caoa Chery de Jacareí, interior de SP, liderados pelo Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região, as 480 demissões na planta foram revertidas.

A entidade apresentou à empresa proposta de lay-off de cinco meses, a partir de 1º de junho, mais três meses de estabilidade. Com esse acordo entre a montadora e o Sindmetal, os empregos estão assegurados até janeiro de 2023.

Segundo Anderson Elias Xavier (Costelinha), diretor do Sindicato e funcionário da Caoa, a mobilização da categoria foi essencial pra empresa reverter a decisão. “É uma grande vitória dos trabalhadores. Teve vigília na porta da fábrica e, inclusive, um almoço solidário no Dia das Mães”, diz Costelinha.

“Após reunião com a empresa dia 10, houve acordo do lay-off e estabilidade. O mês de maio será pago como licença remunerada. Garantido também o pagamento do convênio médico, odontológico e vale-alimentação, no valor de R$ 300,00”, explica o diretor do Sindicato.

Próximos – A luta continua pra evitar uma catástrofe após janeiro. Isso porque a empresa já sinalizou que pretende encerrar a produção dos veículos Arrizo 6 e Arrizo 6 Pro no Brasil e importar da China. A mobilização agora será pra pressionar os governos municipal, estadual e federal para que proíbam o fechamento da planta da montadora.

“A suspensão das demissões é uma grande vitória e mostra o quanto é importante a luta dos trabalhadores. Não se pode simplesmente aceitar a imposição dos patrões. Agora, vamos dar um novo passo pela permanência da Caoa Chery em Jacareí”, afirma Weller Gonçalves, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São José. Para o dirigente, os interesses patronais não podem ser colocados acima do bem estar coletivo. “Estamos iniciando campanha nacional contra o fechamento da montadora”, conclui Weller.

MAIS – Acesse o site dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui