Os frentistas conseguiram no ato conservador de domingo (12), na Avenida Paulista, levantar a bandeira do emprego frente ao deputado Kim Kataguiri (DEM-SP), um dos coordenadores do MBL – que convocou a manifestação.

O parlamentar apresentou emenda que anula a Lei 9.956/2000, que proíbe o self-service nos postos. A emenda põe em risco o emprego de 500 mil trabalhadores em todo o País.

No discurso, o presidente da Força Sindical, Miguel Torres, pediu ao deputado rever sua postura. Já está certo que o parlamentar receberá delegação de dirigentes da categoria, a fim de debater a questão.

Arraes – Presidente da Federação Estadual (Fepospetro), Luiz Arraes, acompanhado de dirigentes frentistas, liderou panfletagem da Carta Aberta que denuncia a ameaça aos empregos. Arraes comenta: “Enquanto estávamos com a faixa levantada, pedindo que o parlamentar reveja sua posição, integrantes do MBL queriam que abaixássemos”.

Para o dirigente, foi produtiva a ida à Paulista. “Não só quanto ao Deputado autor da emenda. Também foi importante encontrar outros parlamentares, com quem conservamos a respeito da emenda e estamos marcando reuniões”, ele observa.

Diálogo – Na sexta (9), durante reunião com Kim Kataguiri, preparatória ao ato de domingo, Miguel Torres já havia alertado para o risco de desemprego. Quanto à ida das Centrais ao ato, o dirigente considera positiva. Ele diz: “Conseguimos mostrar num palanque conservador a pauta sindical unitária, principalmente sobre a questão do emprego”.

MAIS INFORMAÇÕES – Fenepospetro, Fepospetro, Sinpospetro Osasco.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui