Os Engenheiros de São Paulo pedem audiência a Bruno Covas (PSDB) para tratar da retomada de obras no Município e de outras ações geradoras de emprego, também capazes de movimentar a economia. Segundo Murilo Pinheiro, presidente do Sindicato da categoria no Estado, quanto antes, melhor. “Fizemos o pedido direto ao gabinete. Iremos na hora que o prefeito chamar”, diz.

A engenharia tem pressa. Murilo explica: “Retomar obras, principalmente na construção civil, gera emprego, renda e movimenta a cadeia econômica”. Para o sindicalista, a atitude ativa do administrador também estimularia o setor privado.

“Se a iniciativa privada perceber a disposição de fazer do prefeito, de retomar obras e apoiar a economia, os investimentos surgem. Mas é preciso que o poder público puxe a fila”, comenta.

Afora retomar obras, o presidente do Sindicato defende outras ações urgentes, como as frentes de trabalho. Além da urgência, ele vê viabilidade, por meio da construção civil. “Muita gente precisa de moradia em nossa cidade”, diz.

Saúde – Com o prefeito Bruno Covas, os Engenheiros querem tratar também do enfrentamento da Covid-19. Murilo alerta: “É preciso equipar hospitais e outras unidades da saúde pública. A doença voltou com força”.

Murilo Pinheiro destaca a iniciativa de engenheiros da USP, que produzem respiradores a preço muito menor do que tem sido pago pelos governos. Ele adianta: “O equipamento é seguro, o preço é vantajoso, utiliza insumos nacionais, ocupa gente e gera emprego”. Segundo o presidente do Sindicato dos Engenheiros do Estado de SP e da Federação Nacional da categoria (FNE), o projeto na USP tem forte apoio na opinião pública. Murilo informa: “Já receberam doações de R$ 10 milhões”.

MAIS – Acesse o site do Sindicato.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui