Entidades de trabalhadores alertam para o risco de demissão em massa, com as bombas automáticas, que, além de demitir o frentista, fazem o usuário abastecer o próprio auto

Na tarde da terça (14), dirigentes da categoria dos trabalhadores em postos de combustíveis se reuniram em Brasília com o deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP). O encontro visou debater com o parlamentar emenda de sua autoria que permite o self-service, tornando sem efeito lei sancionada pelo presidente Fernando Henrique Cardoso em 2000.

Kim Kataguiri é deputado federal (DEM-SP)

As entidades de trabalhadores alertam para o risco de demissão em massa, com as bombas automáticas, que, além de demitir o frentista, fazem o usuário abastecer o próprio auto. Em Carta-Aberta, dirigida aos frentistas e também aos usuários, as Federações e Sindicatos alertam que cerca de 500 mil empregos correm risco.

Luiz Arraes, que preside a Federação da categoria no Estado de São Paulo, participou do encontro. Presentes também o presidente da Federação Nacional, Eusébio Luis Pinto, o deputado federal Paulinho da Força, Miguel Torres, presidente da Força Sindical, e outros dirigentes.

Segundo Arraes, dirigente frentista, “o deputado mais ouviu do que falou, mas sugeriu fazermos um debate com ele, nós, pelos trabalhadores, e representantes do empresariado”. O sindicalista topa o debate e vai além: “Quanto mais debatermos o assunto mais as pessoas compreenderão que as bombas desempregam e aumentam demais os riscos de acidentes e assaltos nos postos”.

DATA – Ainda não há data para o debate. Também a forma – se presencial ou on line – será definida.

CAMPANHA – As lideranças dos frentistas, via Sindicatos ou Federações, estão na ofensiva, com Carta-Aberta nas bases, matérias na imprensa, vídeos e a logomarca da campanha, que começa a ser popularizada.

Acesse – www.fenepospetro.org.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui