O ex-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região (SP), Antônio Ferreira de Barros (Macapá), foi condenado à prisão pela Justiça Federal por crime de desobediência. A entidade sindical diz, em Nota, que a decisão, da 3ª Vara Federal de São José dos Campos , é arbitrária.

Segundo o Sindicato, Macapá foi condenado por defender os empregos da General Motors enquanto presidia a entidade. Em agosto de 2015, os trabalhadores iniciaram greve contra a demissão de 798 funcionários. Após 14 dias, a montadora cancelou as demissões e a mobilização terminou vitoriosa.

Em parte da mobilização, a Rodovia Presidente Dutra foi ocupada por manifestantes. “Reuniu representantes das Centrais Sindicais, partidos políticos, parlamentares e até o prefeito da cidade”, informa o Sindicato dos Metalúrgicos.

De acordo com a entidade, a Justiça usou esse evento de ocupação da Via Dutra pra alegar desobediência a uma ação civil pública de dois anos antes, que impunha a obrigação de não bloquear, impedir ou tumultuar o trânsito na Rodovia e marginais.

O Sindicato dos Metalúrgicos entende que essa decisão, além de arbitrária, desconsidera a justa luta em defesa dos empregos, interpretou como permanente a vigência de um interdito proibitório contra a entidade sindical e agride o direito à manifestação.

A entidade repudia a decisão e informa que irá recorrer da prisão do sindicalista e da arbitrariedade judicial. “Trata-se de um ataque não somente a um indivíduo, mas ao Sindicato como um todo e, por consequência, a uma categoria reconhecidamente combativa e conhecedora dos seus direitos”.

MAIS – Acesse o site dos Metalúrgicos de São José dos Campos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui