19.7 C
São Paulo
sábado, 16/10/2021

Datena defende emprego do frentista

No comando do microfone da Rádio Bandeirantes (AM 840; FM 90,9), José Luiz Datena fez hoje (16) consistente defesa da profissão do frentista e dos empregos na categoria.

Ele comentou a emenda do deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP) à Medida Provisória 1.063, que autoriza postos a implantar o autoatendimento. O deputado alveja lei de 2000, que obriga os postos a ter frentistas e proíbe o self-service.

Kataguiri, ao ser entrevistado no “Manhã Bandeirantes”, citou um tempo de transição, até cinco anos, pra realocar os trabalhadores afetados. Logo após, foi corrigido por Luiz Arraes, presidente da Fepospetro-SP: “Esse acordo não existe”.

Ironia – Datena lamentou que o deputado não soubesse quanto o salário impacta no preço do combustível. “Vai ficar o dono sozinho lá no posto”, disse. E mais: “Já não basta termos 16 milhões de desempregados e agora vamos mandar frentista embora”. Sobre realocação de trabalhadores, ironizou: “Vão realocar o frentista na rua, isso sim. O deputado deveria brigar pra reduzir imposto”.

Eusébio Neto, presidente da Federação Nacional – Fenepospetro – disse ao programa: “O frentista atende com qualidade e segurança. É treinado. Imagina uma pessoa, nas cidades violentas deste País, abastecer o carro em um posto, sozinha”. Perigo de acidente, incêndio e assalto, frisou.

Desemprego – Segundo as entidades pode haver demissão de 500 mil trabalhadores, se a emenda prosperar, empurrando os frentistas pra imensa legião de desempregados e desalentados no País.

MAIS – Sites das Federações – Fepospetro SP e Fenepospetro.

Notícias

Matérias Relacionadas

Iniciar conversa
Fale com a Agência Sindical