Centrais de Guarulhos lançam Nota em defesa do Auxílio de R$ 600,00

0
214

As Centrais Força Sindical, CUT, UGT, CSB de Guarulhos lançaram Nota unitária em defesa do pagamento do Auxílio Emergencial no valor de R$ 600,00 até dezembro.

Os sindicalistas defendem a votação da Medida Provisória 1.000/2020, apresentada dia 3 de setembro pelo governo. Eles reivindicam que os deputados elevem o valor de R$ 300,00, proposto por Bolsonaro, para R$ 600,00. Caso a MP não seja votada, o valor do benefício será mantido em R$ 300,00 até dezembro. 

“Esse dinheiro manteve abertas micros e pequenas empresas, de todos os setores, garantindo empregos. Outro ganho: o aumento no consumo também beneficiou Municípios, Estados e União com mais arrecadação, o que garante a prestação de serviços públicos”, afirma a Nota.

O objetivo das Centrais é mobilizar amplos setores da sociedade, ganhar o apoio da população e sensibilizar parlamentares. “Por tudo isso, pedimos o apoio das entidades de classe, trabalhadores, deputados, senadores, empresários do setor produtivo e dos Poderes em nosso município”.

Abaixo-assinado – As Centrais disponibilizam na internet um abaixo-assinado virtual dirigido a deputados e senadores. Clique aqui e apoie!

Leia abaixo a Nota na íntegra:

Por que todo brasileiro deve apoiar o Auxílio Emergencial de R$ 600,00

A pandemia do novo Coronavírus atinge o Brasil com a intensidade de uma guerra. O resultado é dramático: paralisação de setores produtivos, mais desemprego, precarização do trabalho e aumento da pobreza. 

Uma situação dessas exige medidas práticas em apoio ao povo e à economia.

Uma das poucas providências adotadas é o Auxílio Emergencial de R$ 600,00, que pagou cinco parcelas a mais de 65 milhões de brasileiros.

Esse Auxílio, vale destacar, foi conseguido junto ao Congresso Nacional por pressão popular e sindical. O governo federal queria pagar apenas R$ 200,00.

O Emergencial injetou dinheiro na economia e garantiu comida na mesa de desempregados, subempregados, autônomos e MEIs. Seu volume chega, segundo o Dieese, a 2,5% do PIB nacional.

Veja: 95% do valor foram pra comprar comida, remédio e produto de limpeza. Isso movimentou mercearias, mercadinhos, supermercados, farmácias, depósitos de material de construção, beneficiando também a cadeia da indústria alimentícia.

Esse dinheiro manteve abertas micros e pequenas empresas, de todos os setores, garantindo empregos.

Outro ganho: o aumento no consumo também beneficiou Municípios, Estados e União com mais arrecadação, o que garante a prestação de serviços públicos.

Por tudo isso, o movimento sindical pleiteia Auxílio Emergencial de R$ 600,00, até dezembro.

Por tudo isso, pedimos o apoio das entidades de classe, trabalhadores, deputados, senadores, empresários do setor produtivo e dos Poderes em nosso município.

A tarefa é sensibilizar o Congresso a votar logo a Medida Provisória 1.000. Para tanto, vamos dialogar com os deputados federais por Guarulhos e os senadores paulistas. Também procuraremos os partidos: todos!

Guarulhos, 25 de setembro de 2020

Força Sindical

CUT – Central Única dos Trabalhadores

UGT – União Geral dos Trabalhadores

CSB – Central dos Sindicatos Brasileiros

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui