Onze Centrais Sindicais unem esforços para o protesto contra o governo Bolsonaro no sábado, dia 24. Em Nota, elas conclamam os trabalhadores à participação em suas cidades e regiões. A participação das Centrais fortalece a pauta sindical unitária e leva as demandas da classe trabalhadora para a linha de frente das manifestações.

SEGUE:
Centrais Sindicais convocam trabalhadores para o ato de 24 de julho

As Centrais Sindicais, protagonistas da história, representantes legítimas dos trabalhadores, convocam para os atos do dia 24 de Julho (#24J) em todo o País, reforçando a luta pelo Fora Bolsonaro, por Auxílio Emergencial de R$ 600,00, vacina pra todos já, contra o desemprego e a carestia, contra a reforma administrativa e também pra manifestar indignação pelas 540 mil mortes, centenas de milhares das quais poderiam ter sido evitadas.

Só o povo nas ruas vai impedir que se concretizem as aventuras autoritárias que o Presidente tem insinuado, como a de que pode impedir as eleições de 2022 ou não aceitar o resultado das urnas eletrônicas, em caso de derrota.

Por isso, é cada vez mais necessária a presença de todos nas manifestações pra pressionar o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, a pautar um dos mais de 100 pedidos de impeachment, como o superpedido subscrito também pelas Centrais.

Em São Paulo, colocaremos nosso caminhão na avenida Paulista, em frente à Fiesp. Recomendamos que usem máscaras, levem álcool em gel e mantenham distância de pelo menos dois metros entre as pessoas.

Não aceitamos mais um governo incompetente, desumano, corrupto e genocida.

Todos às ruas no #24J!
Fora Bolsonaro!
Vacina para todos já
Emergencial de R$ 600,00
Emprego e direitos
Contra a carestia
Não à reforma administrativa e às privatizações

São Paulo, 20 de julho de 2021

Sérgio Nobre, Central Única dos Trabalhadores; Miguel Torres, Força Sindical; Ricardo Patah, União Geral dos Trabalhadores; Adilson Gonçalves de Araújo, Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil; Antonio Neto, Central dos Sindicatos Brasileiros; José Reginaldo Inácio, Nova Central Sindical; Ubiraci Dantas, Central Geral dos Trabalhadores do Brasil; Atnágoras Lopes, CSP-Conlutas; Edson Carneiro Índio, Intersindical; Emanuel Melatto, Intersindical; José Gozze, Pública Central do Servidor.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui