O INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) informou que irá começar a pagar a aposentadoria com reajuste, para todas as faixas de valores, a partir do dia 25 de janeiro. São beneficiados aposentados e pensionistas.

Os beneficiários que recebem um salário mínimo terão reajuste de 10,18% e passarão a receber R$ 1.212,00. Já os que ganham acima do Piso Nacional terão acréscimo de 10,16%. O teto dos benefícios do INSS passa a ser de R$ 7.087,22.

Calendário – O cronograma de pagamento inicia no dia 25 de janeiro para aposentados e pensionistas que recebem um salário mínimo. Já aqueles que têm rendimento superior, começam a receber a partir de 1º de fevereiro. Confira o calendário abaixo.

 Novos – Os beneficiários que passaram a receber a aposentadoria a partir de fevereiro de 2021 terão porcentagem diferenciada no reajuste. O aumento varia conforme o primeiro mês de concessão. Os valores serão divulgados pelo governo.

Arrocho – Para dirigentes sindicais, o reajuste do INPC seco no salário mínimo é uma política do governo Bolsonaro que não beneficia a maior parte da população. Segundo o presidente dos Metalúrgicos de Guarulhos e Região, Josinaldo José de Barros (Cabeça), 48 milhões de brasileiros deixam de ter ganho real.

“O Piso Nacional é pago a muitos trabalhadores formais, informais, aposentados e pensionistas. Ou seja, a base social mais pobre. E as pessoas que ganham isso, gastam a maior parte em alimentação. Ou seja, com o mínimo arrochado, o consumo é menor”, avalia Cabeça.

Diferença – O presidente do Sindicato Nacional dos Aposentados, Pensionistas e Idosos (Sindnapi), João Inocentini, critica a deliberação do governo em reajustar em porcentagem diferente as faixas de pagamento da aposentadoria.

“Quem ganha um salário mínimo tem reajuste de 10,18%. Quem ganha acima tem reajuste de 10,16%. Vamos ver como o governo fará com relação a essa diferença. Mas, se for preciso, iremos ao Supremo Tribunal Federal para resolver, como todas as outras vezes que o governo não pagou a diferença do INPC”, afirma Inocentini.

MAIS – Acesse o site dos Metalúrgicos de Guarulhos, do Sindnapi e do INSS.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui