O presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Adilson Araújo, publicou artigo criticando o chamado jogo de cena do presidente da República, Jair Bolsonaro. Para o sindicalista, o chefe do Executivo utiliza essa tática visando o pleito eleitoral de outubro.

“A mudança no Ministério das Minas e Energia é a farsa mais recente que está encenando. A substituição do almirante Bento Albuquerque pelo neoliberal Adolfo Sachsida não muda uma vírgula na política de preços dos combustíveis. É como trocar seis por meia dúzia”, afirma Adilson.

O presidente da CTB ressalta ainda a tentativa do governo, principalmente do ministro da Economia, Paulo Guedes, em privatizar a Petrobras, o que seria um equívoco.

Na visão de Adilson, a experiência no Brasil mostra que após a privatização os preços sobem. “Não seria diferente com a Petrobras. E é o que ocorreria também com a conta de luz se a energia elétrica fosse completamente submetida aos interesses dos capitalistas privados, que só se orientam por um objetivo: a maximização dos lucros”, explica.

Mentiras – Segundo o sindicalista, o presidente Bolsonaro se mostra insuperável quando o assunto é mentira. “Segundo o site Aos Fatos, especializado em checagem de notícias, Jair Bolsonaro deu 5.145 declarações falsas ou distorcidas desde que assumiu a presidência até 1º de abril”, ressalta.

“Como reza a frase atribuída a Abraham Lincoln, pode-se enganar a todos por algum tempo, mas não se pode enganar a todos todo o tempo. O presidente mentiroso será derrotado nas urnas”, conclui o líder cetebista.

LEIA – Clique aqui e leia o artigo completo.

MAIS – Acesse o site da CTB.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui