Patronal acena com Abono ao ensino superior

Surtiu efeito a pressão de professores do ensino superior contra a proposta de reajuste zero oferecido pelo patronal em negociação da campanha salarial da categoria.

Na quarta (28), o Semesp (Sindicato que representa as mantenedoras das instituições privadas de ensino superior) voltou atrás e apresentou proposta de Abono salarial a professores e funcionários administrativos.

Segundo Celso Napolitano, presidente da Federação dos Professores do Estado de SP (Fepesp), ao negar a reposição das perdas da inflação nos salários de 2020 e 2021, as mantenedoras deixavam de assumir uma defasagem de 11% na sua folha de pagamentos, em prejuízo dos educadores.

“Não é justo que a categoria pague essa conta. Não admitimos suspender cláusulas da Convenção Coletiva com a desculpa do período de exceção”, afirma Celso, que coordena a Comissão de Negociação pela Fepesp.

CCT – Nova rodada de negociação acontece na próxima quarta-feira, dia 5, para discutir ajustes salariais e demais pendências. “Enquanto isso, todas as cláusulas da Convenção Coletiva de 2019 ainda estão vigentes, em função de acordo firmado no inicio das tratativas em fevereiro de 2020”, completa Napolitano.

A Fepesp recomenda atenção especial a todos os professores e auxiliares no Ensino Superior – qualquer nova informação nas negociações desta campanha salarial 2021 será comunicada pelos sindicatos e pode exigir a mobilização de todos – em defesa da vida e dos direitos!

Acesse – http://fepesp.org.br/

Notícias

Matérias Relacionadas

Fale com a Agência Sindical