Fórum Sindical dos Trabalhadores define agenda pró-crescimento e emprego

• 11/2/2019 - segunda-feira

Os dirigentes de Confederações ligados ao Fórum Sindical dos Trabalhadores preparam uma agenda para definir estratégias de enfrentamento da reforma da Previdência, ameaça de extinção da Justiça do Trabalho, esquartejamento do Ministério do Trabalho, entre outras deliberações. Nesta terça (12), às 9 horas, eles se reunirão, na sede da CNTEEC (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Educação e Cultura), em Brasília.

O coordenador do FST, professor Oswaldo Augusto de Barros, conversou com a Agência Sindical. Ele explicou que o encontro também vai estabelecer um cronograma de contatos, que buscará abrir diálogo com os Poderes.


Oswaldo de Barros é entrevistado por João Franzin para o Vídeo da Semana

"Nós solicitaremos audiências com o Executivo, Legislativo e o Judiciário. Queremos entregar um documento que as Confederações elaboram desde o final do ano passado. Nosso objetivo é debater uma agenda que propicie a retomada do crescimento, geração de empregos e valorização do trabalho", conta.

O documento das Confederações deve ter uma apresentação inicial única e textos distintos, com o relato das lutas, conquistas e também das reivindicações das categorias representadas. "Nosso documento não é ideológico ou partidário. O que se pretende é estabelecer diálogo com o governo, Senado e Câmara, mostrando quem somos de fato", aponta Oswaldo.

Sobre os outros itens da pauta, o coordenador do Fórum diz: "A reforma da Previdência, a extinção do Ministério do Trabalho e a questão da Justiça trabalhista estão na ordem do dia. Estamos aqui pra colaborar naquilo que for trazer benefício aos trabalhadores e ao País. Mas deixando claro que não aceitaremos a retirada de direitos e o desmonte da organização sindical".

Vídeo - O professor Oswaldo Augusto de Barros esteve na Agência Sindical dias atrás, para gravar uma participação no quadro Vídeo da Semana. A entrevista será divulgada nesta semana no site e em nosso canal do YouTube.

CNTA - A Agência também ouviu Artur Bueno de Camargo, presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação e Afins. O dirigente defendeu a organização de um amplo movimento, "capaz de chamar as representações sociais para um grande manifesto em defesa da Justiça do Trabalho e a volta do Ministério criado por Getúlio Vargas e que tantos serviços prestou ao Brasil".

Mais informações: www.fstsindical.com.br
Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home