Há 35 anos Diap orienta sindicalismo e também pauta a grande imprensa

• 11/1/2019 - sexta-feira

O Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap), criado há 35 anos, goza de alta credibilidade junto ao movimento sindical brasileiro e meio político. Sem vínculo partidário e com grande conhecimento acerca do Congresso Nacional e órgãos do governo federal, a entidade tem sido fonte frequente também para a grande mídia.

Segunda (7), um de seus trabalhos deu o conteúdo da reportagem na página A6 da Folha de S.Paulo sobre a composição da base de Bolsonaro. Manchete: “Estudo aponta tendência de apoio consistente a Bolsonaro”. E o olho complementava: “Levantamento do Diap projeta adesão de 255 deputados ao presidente”.


Celso Napolitano e João Franzin no Repórter Sindical na Web, em julho de 2018

A Folha ouviu Neuriberg Dias, analista político e assessor do Diap. Seu quadro mais conhecido, Antônio Augusto de Queiroz (Toninho), está em licença do cargo devido a ajustes administrativos na entidade, informa o professor Celso Napolitano, que preside a instituição. Licenciado, mas não afastado.

Logo abaixo de um dos infográficos, na página 6, a Folha registra: “Para o Diap, o perfil do governo - com uma agenda liberal, fiscal e conservadora - deve atrair esses partidos conservadores, com quem tem afinidade programática, em pautas como a reforma da Previdência. Além do PSL, o PR já anunciou que integrará a base”.

Presidente - Para Napolitano, também presidente da Federação dos Professores no Estado de São Paulo (Fepesp), “a compreensão de que as grandes lutas e decisões se dão e se darão no âmbito do Congresso tem estimulado a imprensa a procurar as informações e análises do Diap”.

Além da assessoria parlamentar ao sindicalismo, a entidade edita, anualmente, o clássico “Os 100 Cabeças do Congresso”. Os 100 parlamentares destacados escolhem, entre eles, os 10 principais influenciadores no Congresso Nacional. O Diap também produz cartilhas de grande utilidade para a ação sindical parlamentar e junto a entes governamentais.

Espartano - Com poucos recursos e equipe enxuta, o Diap tem sobrevivido, com dificuldades, à grave crise financeira que a reforma trabalhista pôs no colo das entidades dos trabalhadores.

“Atuamos praticamente sem dinheiro. Somos o lobby dos pobres”, brinca o presidente Napolitano, ao lembrar de ações efetivas do Departamento, como o famoso Projeto Número 1 do Diap, na Constituinte, que visava à estabilidade no emprego. “Desse Projeto nasceu a negociação que quadruplicou a multa sobre o Fundo de Garantia na dispensa sem justa causa”, ele conta.

Livre - Sempre presidido por um sindicalista, o Diap tem reconhecida competência nas áreas de análise política e consultoria às entidades. Sua fonte de financiamento são as mensalidades do sindicalismo. Seu site - www.diap.org.br - é obrigatório para se acompanhar o trâmite de matérias do interesse da classe trabalhadora, a atuação das Comissões Parlamentares e as posições das bancadas. Todo o conteúdo que o Diap produz é liberado em seu site.

Mais informações: www.diap.org.br ou telefones (61) 3225.9704 (Diap) e (11) 5082.5350 (Fepesp).

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home