Movimentos Sociais e sindicalistas fazem protesto contra aumento no transporte

• 9/1/2019 - quarta-feira

Movimentos sociais e sindicalismo realizam nesta quinta (10) manifestação contra o reajuste da tarifa do transporte coletivo em São Paulo. O ato será em frente ao Theatro Municipal, Centro, a partir das 17 horas.
 
Segunda (7), a tarifa de ônibus aumentou na capital paulista de R$ 4,00 para R$ 4,30. No dia 13 (domingo), metrô e trens também subirão as tarifas seguindo os mesmos valores. Os reajustes, autorizados pelo prefeito Bruno Covas e pelo governador Joao Doria, ambos do PSDB, chegam a 7,5%, mais que o dobro da inflação.


Reajustes abusivos nas tarifas gera protestos na cidade de São Paulo

O Sindicato dos Metroviários de São Paulo destaca que a partir de domingo, quando começarem a valer os aumentos das tarifas de metrô e trens, a integração pelo Bilhete Único subirá de R$ 6,96 para R$ 7,48. "Nós apoiamos essa manifestação convocada pelo Movimento Passe Livre, pois será um ato pacífico", disse à Agência Sindical, Sérgio Renato da Silva Magalhães, diretor de base da entidade.

Para o sindicalista, as tarifas praticadas em São Paulo assemelham-se ao Apartheid, regime de segregação racial adotado de 1948 a 1994 na África do Sul. "Só que aqui, estão sendo segregados os pobres. Querem empurrar todos para as periferias e deixá-los lá", ressalta.

Ele denuncia que o transporte coletivo foi transformado em mercadoria. "Só serve para dar lucro aos donos de empresas de ônibus e concessionárias de transporte sob trilhos. As constantes privatizações das linhas do Metrô só favorecem as empresas. Os usuários estão sempre em segundo plano", afirma.

Sérgio garante que este ato será o primeiro de muitos protestos. "Quem recarregou o Bilhete Único antes do aumento, não sentirá os efeitos de imediato. Mas, a partir da próxima recarga, sentirá o baque", avalia.

Cálculo - Segundo a entidade, a inflação sempre foi usada como argumento para aumentar as tarifas, mas se a variação do indicador fosse realmente seguida, a tarifa do ônibus que era de R$ 0,50 em julho de 1994, quando foi criado o Plano Real, seria hoje de R$ 2,80.

Um estudo feito pelo jornal O Estado de S. Paulo mostra que corrigindo o valor da tarifa pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), desde a criação do Bilhete Único, o preço da passagem deveria ser R$ 3,82 (em 2004, a tarifa de ônibus na capital paulista era de R$ 1,70).

Mais informações: www.metroviarios.org.br

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home