Comerciários de SP conquistam vitórias para os trabalhadores na Justiça

• 7/1/2019 - segunda-feira

O Sindicato dos Comerciários de São Paulo repassou cerca de R$ 5 milhões aos trabalhadores ao longo do ano de 2018. O valor se refere a ações movidas pelo Sindicato contra empresas que não cumpriram com seus deveres trabalhistas. "Tudo graças ao trabalho efetivo do nosso departamento jurídico", afirma Ricardo Patah, presidente da entidade.

Em entrevista nesta segunda (7) à Rádio Web Agência Sindical, Patah explicou como realizaram essas ações: "Comerciários que se sentiram prejudicados nos procuraram, nós fomos atrás dos seus direitos e entramos com processos na Justiça do Trabalho contra as empresas que não cumpriam a Convenção Coletiva ou a CLT. Ganhamos as causas e os trabalhadores, então, receberam o dinheiro”.

De acordo com o dirigente, o jurídico do Sindicato atuou em ações individuais e coletivas. "Só em ações individuais beneficiamos mais de 1.500 comerciários", comenta. E completa: "Já as ações coletivas foram movidas contra 43 empresas, beneficiando 6.600 empregados que tiveram seus direitos desrespeitados".


Ricardo Patah fala aos comerciários das ações trabalhistas feitas pelo Sindicato

Patah conta que os principais motivos foram o não pagamento de verbas rescisórias e hora extra, assédio moral e a existência de comissões por fora, entre outros.

O dirigente destaca que estas vitórias judiciais são mais uma prova da importância do Sindicato na defesa dos direitos dos trabalhadores. "E não só da nossa categoria comerciária. O trabalhador em geral precisa entender que só um Sindicato forte pode combater esse tipo de desmando e defendê-lo contra maus patrões", ressalta.

"Esse é o papel do Departamento Jurídico do Sindicato dos Comerciários de São Paulo: defender os direitos e interesses do trabalhador e fazer valer a lei", aponta.

Algumas das empresas acionadas foram: Walmart, Itamambuca Comércio de Alimentos, Grupo Saint Marche, Supermercado Ourinhos, Grupo Futurama, as lojas Terras da Aventura e The North Face, as concessionárias Agulhas Negras, Grupo Carrera e Grupo Sinal.

Denúncias - Ricardo Patah afirma que o Sindicato atende a todos os trabalhadores do comércio de São Paulo, sócios ou não. "Caso o comerciário tenha dúvidas ou queira denunciar irregularidades cometidas pela empresa, procure nosso jurídico", destaca.

O sindicalista explica que, caso suspeite que seus direitos estejam sendo desrespeitados pela empresa, o trabalhador deve procurar imediatamente o Sindicato. Todos os dias, há um plantão de advogados na sede da entidade à rua Formosa, 99 - ao lado do Metrô Anhangabaú.

Se preferir, o comerciário pode ligar para o telefone (11) 2111.1818 ou, ainda, a denúncia pode ser feita através do site www.comerciarios.org.br

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home