Justiça Federal de São Paulo suspende entrega da Embraer à Boeing

• 7/12/2018 - sexta-feira

A Justiça Federal de São Paulo determinou quarta (5) a suspensão do acordo entre a fabricante brasileira de aviões e a norte-americana Boeing. Com a decisão, em caráter liminar (provisório), o juiz Victorio Giuzio Neto paralisa qualquer efeito concreto referente ao acordo de intenções entre as duas empresa, embora não impeça que as negociações continuem.

Segundo o juiz, da 24ª Vara Cível Federal de São Paulo, a medida cautelar tem o objetivo de evitar que uma “transferência da parte comercial da Embraer para a Boeing” ocorra sem que sejam avaliados e levados em consideração os interesses nacionais. A decisão foi em resposta a ação popular dos deputados federais Paulo Pimenta (PT-RS) e Carlos Zaratini (PT-SP).

Para o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região, onde está localizada a principal planta da Embraer, a suspensão provisória do acordo pode trazer um fôlego a mais para a entidade mobilizar trabalhadores e sociedade civil.

O diretor Herbert Claros, que é funcionário da empresa, disse à Agência Sindical que "a Embraer tem importância estratégica e precisamos conscientizar a todos que essa fusão pode acabar com empresa".

Segundo o dirigente, mesmo com a suspensão do acordo, o Sindicato mantém a campanha "A Embraer é nossa". "Vamos reforçar ainda mais nossa campanha. Já estão ocorrendo demissões e isso é uma amostra do que irá acontecer após a fusão com a Boeing”, diz. Ele conta que, desde o anúncio das tratativas, cerca de 80 metalúrgicos foram dispensados.

Acordo - Em julho, a Boeing e a Embraer assinaram um acordo de intenções para formar uma "joint venture" (nova empresa) na área de aviação comercial, avaliada em US$ 4,75 bilhões. Nos termos do acordo, a fabricante norte-americana de aeronaves deterá 80% do novo negócio e a Embraer os 20% restantes.

Mais informações: www.sindmetalsjc.org.br

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home