Ato inter-religioso marca 70 anos da Declaração dos Direitos Humanos

• 6/12/2018 - quinta-feira

A Frente Inter-religiosa por Justiça e Paz, que tem Dom Paulo Evaristo Arns como patrono, realiza na próxima segunda (10) um ato para celebrar os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos (DUDH). O evento ocorre na Catedral da Sé, Centro de São Paulo, das 15 às 16 horas.

O ato será celebrado em conjunto por vários líderes religiosos. Entre eles, o Arcebispo de São Paulo, Cardeal Dom Odilo Pedro Scherer; o Sheikh Mohamad Al Bukai, da União Nacional das Entidades Islâmicas do Brasil; o Pastor Ariovaldo Ramos, da Frente de Evangélicos pelo Estado de Direito; a Iyalorixá Adriana Toledo, o Rabino Alexandre Leone, o monge budista Ryozan Sensei, além de líderes ortodoxos e indígenas.

Vitor Medeiros, articulador da seção paulista da Frente de Evangélicos pelo Estado de Direito, diz que o ato é uma oportunidade de celebração da união dos homens de boa vontade. "Vamos comemorar os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos num momento que, em todo esse tempo, ela nunca esteve sob risco como agora", afirma.

Declaração - Em 10 de dezembro de 1948, a Organização das Nações Unidas reconheceu a dignidade inerente a todos os membros da família através da Declaração. A DUDH é o principal documento que serve de referência para o amplo exercício da cidadania, dos direitos e liberdades básicas de todos os seres humanos.

Ela é considerada o marco inicial da preocupação com as questões relativas aos direitos humanos. O objetivo da Declaração é definir medidas, visando garantir que os direitos básicos para uma vida digna sejam assegurados a todos os cidadãos, independente de cor, raça, nacionalidade, orientação política, sexual ou religiosa.

Brasil - Tais princípios foram incorporados na Constituição Brasileira de 1988, que tem, como um dos seus fundamentos, já em seu artigo 1º, a dignidade da pessoa humana.

Mais informações: frentedompaulo.com.br

 

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home