1º/11/2018 - Educação e a liberdade de Cátedra - Oswaldo Augusto de Barros

• 1º/11/2018 - quinta-feira


Oswaldo Augusto de Barros
é professor e presidente da CNTEEC
(Confederação Nacional dos Trabalhadores
em Estabelecimentos de Educação e Cultura).
E-mail:
barros2002@terra.com.br

A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Educação e Cultura (CNTEEC), por suas Federações e Sindicatos vinculados, manifestam, veementemente, seu REPÚDIO pelas ações que cerceiam o direito de livre manifestação em sala de aula, ambiente sagrado de cultura e liberdade de expressão.

Ações de repressão ocorridas por manifestantes extremistas, após os resultados das eleições do último dia 28 de outubro, em nada contribuem para a liberdade de expressão, coluna mestra de um ambiente democrático de Direito, em especial, o estudantil.

Hostilizar a formação de nossa juventude é impedir a liberdade de sua expressão e manifestação.

Ana Caroline Campagnolo, eleita deputada estadual pelo PSL de Santa Catarina, ao ameaçar profissionais da Educação, não só demonstra o lado revanchista e manipulador de seu ser, como impõe a necessidade de ações enérgicas do próprio presidente eleito, sob pena de conivência.

Qual será o real objetivo do canal de denúncias na internet por ela aberto? Vigiar atividades pedagógicas será seu maior objetivo ou pretende analisar métodos da Educação que deixou de apreender em seu período pueril? Ou será que pretende aprimorar técnicas de vigilância e controle sobre o que deve ou não ser ensinado, como no período dos governos militares? Essa vigilância também será implantada nos gabinete dos novos inquilinos da Esplanada dos Ministérios ou das Assembleias Legislativas?

Censurar a educação é o mesmo que induzir o aluno a diferenciar os conceitos de vida, sem conhecê-los. Experimentar e saborear o conceito é buscar no mundo o verdadeiro significado da Ética.

Perseguir é a busca pela prisão interior. Prisioneiro maior é quem não quer vivenciar o mundo.

Os excessos levam ao autoritarismo e não iremos pactuar com essa prática.

NÃO a qualquer tipo de censura na Educação. Estamos abertos a debater todos os meios de pensamento dentro da ética.

Professores que se sentirem atingidos não resistam sozinhos e em silêncio. Entrem em contato com sua entidade sindical e terão o apoio necessário para, juntos, defendermos o nosso tão caro direito de expressão e o Estado Democrático de Direito, com a sua confidencialidade preservada.

Medo não faz parte do nosso caráter de Educador.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home