Metalúrgicos do ABC rejeitam proposta patronal e podem entrar em greve

• 5/10/2018 - sexta-feira

Os metalúrgicos do ABC, na Grande São Paulo, rejeitaram a proposta apresentada pelo sindicato patronal durante assembleia na noite de quarta (3). Os trabalhadores também aprovaram estado de greve, caso as negociações não avancem.

Wagner Santana (Wagnão), presidente do Sindicato, fez críticas ao posicionamento dos patrões e ressaltou a necessidade de luta para avançar na campanha salarial.

“O resultado prático da reforma trabalhista é a arrogância dos patrões na mesa de negociação. O nosso posicionamento é pela reposição da inflação, aumento real e, além disso, pelas cláusulas sociais, que são extremamente importantes para garantir direitos”, afirma.


Wagnão, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, conduz assembleia da categoria

CNM/CUT - Paulo Cayres, presidente da Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT, disse à Agência Sindical que a proposta patronal não atende à categoria, pois oferece apenas o INPC do período. “Além disso, apresentaram uma pauta com a retirada de 50 pontos da nossa Convenção Coletiva, como homologação no Sindicato e a ultratividade”, explica.

FEM-CUT/SP - Luiz Carlos da Silva Dias (Luizão), presidente da Federação dos Sindicatos de Metalúrgicos da CUT/SP, diz que o empresariado quer retirar tudo o que foi conquistado pelos trabalhadores. Por isso, não está descartada uma paralisação.

“Foi aprovado o aviso de greve às entidades patronais. Ele será entregue na segunda, já que algumas empresas estão dizendo que farão propostas ate lá. Nossos Sindicatos ainda estão fazendo suas assembleias. Se não tivermos nada favorável, há possibilidade de paralisações pelo estado”, diz Luizão à Agência.

Os metalúrgicos do ABC também autorizaram a Federação a negociar o melhor modelo de contribuição negocial.

Mais informações: www.smabc.org.br

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home