13/8/2018 - Hora de começar a escolher - José Pereira dos Santos

• 13/8/2018 - segunda-feira


José Pereira dos Santos - Presidente do Sindicato
dos Metalúrgicos de Guarulhos e Região
E-mail:
pereira@metalurgico.org.br
Facebook: www.facebook.com/PereiraMetalurgico
Blog: www.pereirametalurgico.blogspot.com.br

Todos os partidos já fizeram suas convenções. Já sabemos, portanto, quem é candidato a presidente, a governador e a senador. Já se sabe, também, quem concorre a deputado federal e a deputado estadual. Esses nomes começarão a ser gravados mais adiante, por força das campanhas eleitorais e do tempo de rádio e TV.

Em toda eleição, as atenções se prendem mais aos cargos majoritários, como presidente e governador. As eleições proporcionais acabam ficando em segundo plano, o que é um erro. É errado porque serão esses deputados que farão as leis, votarão contra projetos de lei ou modificarão a legislação já existente.

O trabalhador precisa dar mais importância ao voto em deputados e senadores. Veja: foi o Congresso Nacional (ou seja, Câmara e Senado) que mudou e piorou muito a lei das terceirizações. Também foram deputados e senadores que aprovaram a reforma trabalhista de Temer, que é altamente lesiva à classe trabalhadora.

Mas não para nisso. Fique atento porque, se algum candidato conservador ou de direita for eleito presidente, uma das primeiras medidas será retomar a reforma neoliberal da Previdência. Temer queria fazer a reforma ainda este ano, mas teve de recuar porque, como teremos eleições, os parlamentares ficaram com medo de votar a reforma, que é impopular e tiraria votos de muita gente, ameaçando as reeleições.

Os Sindicatos, enquanto entidades, não se alinham a candidaturas. Mas seus dirigentes têm o direito e o dever de alertar sobre em quem o trabalhador não deve votar e orientar quais são as candidaturas simpáticas ao sindicalismo e ao mundo do trabalho. Candidatos e partidos alinhados ao projeto neoliberal devem ser rejeitados. Por quê? Porque são contra os direitos trabalhistas e muito submissos ao mercado, especialmente ao setor financeiro, que é o mais selvagem do capitalismo.

Portanto, nosso primeiro dever cívico é ir votar no dia da eleição. Nosso segundo dever é escolher bem os candidatos. Não deixe para a última hora essa opção; não vote em qualquer um, achando que todo político é ladrão; não vote em salvadores da pátria, que, no discurso, apresentam solução para tudo. Governar não é fácil. Governa-se com a inteligência e não com bravatas. Os bravateiros do passado - como Collor de Mello - afundaram o Brasil e nos atrasaram décadas.

Nosso Sindicato sempre foi linha de frente em mobilizações, protestos unitários e greves gerais. Lutar é com a gente mesmo. Por isso, continuamos na luta em defesa do emprego, dos direitos e para manter todos os benefícios da nossa Convenção Coletiva de Trabalho. Nenhum direito a menos!

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home