CNTU debate eleições 2018 e propõe unir brasileiros pelo desenvolvimento

• 8/8/2018 - quarta-feira

O fim do ciclo de convenções partidárias, encerrado domingo (5), marca o início efetivo das campanhas eleitorais. Os candidatos, agora homologados, já podem sair em busca de conquistar o eleitorado. Atento a esse movimento, o sindicalismo também intensifica os esforços, visando introduzir a pauta trabalhista no debate eleitoral.

Com esse objetivo, a Confederação Nacional dos Trabalhadores Liberais Universitários Regulamentados realiza sexta (10), a partir das 14 horas, amplo debate sobre as eleições de outubro. O evento, no Sindicato dos Engenheiros no Estado de São Paulo (Seesp), tem como ponto de partida o documento "A CNTU e as eleições 2018: democracia, desenvolvimento e trabalho”.

A Agência Sindical conversou com o engenheiro Allen Habert, coordenador da iniciativa. Ele explica que o objetivo é propor uma reflexão sobre a Nação brasileira, sua herança, desafios presentes e a construção do futuro. “A ideia é criar uma onda, que a gente possa unir os brasileiros em torno de um só projeto. Vamos debater a retomada do crescimento, com base no tripé democracia, desenvolvimento e trabalho”, diz.

Allen Habert observa que o documento "A CNTU e as eleições 2018...” enumera dez pontos, que devem nortear o diálogo com os candidatos. De acordo com o dirigente, são formulações que analisam a grave crise atual e denunciam os ataques aos direitos. “Queremos mostrar que temos todas as condições de atravessar esse deserto, adotando um projeto de desenvolvimento que seja justo e inclusivo”, reforça.

Convidados - A entidade convidou o cientista político Aldo Fornazieri, da Fundação Escola de Sociologia e Politica, além dos economistas Antonio Corrêa de Lacerda, da Pontifícia Universidade Católica, Júlio Sérgio Gomes de Almeida, do Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi), e Denis Maracci Gimenez, do Centro de Estudos Sindicais e Economia do Trabalho (Cesit), da Unicamp, para debater os temas.

“Temos que reconstruir a democracia no Brasil, retomar o desenvolvimento e reconstituir as relações de trabalho, aviltadas com a ‘deforma’ trabalhista. Estamos em um momento de recuou e precisamos reorganizar nossas forças”, aponta Habert.

Homenagem - Além de aprovar uma Carta do evento, os participantes farão homenagem ao jornalista Audálio Dantas, falecido em 30 de maio, que integrava o Conselho Consultivo da CNTU.

Clique aqui e veja a íntegra do documento "A CNTU e as eleições 2018: democracia, desenvolvimento e trabalho”.

Mais informações: www.cntu.org.br

 

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home