1º/8/2018 - Voto faxina

• 1º/8/2018 - quarta-feira


Walter dos Santos é presidente do Sindicato
dos Trabalhadores no Comércio de Guarulhos
(Sincomerciários)
Contato:
imprensa@comerciariosdeguarulhos.org.br

Vivemos um período de profunda descrença nos políticos e isso tem consequências graves, pois pode levar àquela máxima de que tanto faz em quem você vota, pois todos são ladrões. Isso não é verdade.

Se abandonarmos a política para as aves de rapina, estaremos fazendo exatamente aquilo que eles querem, deixando tudo como está, para que continuem a tomar conta do nosso patrimônio e continuem a definir os nossos destinos.

Temos que renovar, votar em gente nova, que não está compromissada com o que está aí, com o que tem sido feito até agora.

Mas, apenas isso não basta, não devemos escolher um candidato apenas porque nunca foi político, pois muitos nunca tiveram um cargo público, mas são comprometidos com o sistema atual. Seria como trocar o aviãozinho preso por tráfico por outro, que faria tudo igual ao anterior.

Renovar é votar em gente que se comprometa a ser honesta e a não se deixar corromper por grupos que se beneficiam de quem está no poder.

Renovar é escolher candidatos comprometidos com os direitos básicos da população e dos trabalhadores em geral.

Esses cidadãos bem intencionados enfrentarão os vícios políticos de nossa história de mudanças lentas. Um patrimonialismo que vem de baixo para cima, como observamos no uso da máquina pública e no desenvolvimento do clientelismo.

Em toda a nossa história não fomos capazes de melhorar a qualidade dos nossos representantes. Precisamos romper com isso. Por isso, repetimos, vamos votar em pessoas compromissadas com os interesses dos trabalhadores.

Não acredite no cara que aparece na televisão prometendo mundos e fundos e dizendo que nunca foi político. Isso é conversa.

Observe a vida do sujeito, a sua trajetória, o que ele já fez pela população e pelos outros em sua vida. De nada adianta ele falar bonito e ser ligado aos especuladores internacionais.

Também precisamos tomar cuidado com o estelionato eleitoral. Muitas vezes o sujeito se apresenta como alguém que ele não é, por isso o voto não acaba na urna. É preciso cobrar as promessas de campanha e cabe ao eleitor fiscalizar os atos de quem ele elegeu.

Nesta eleição, votaremos para deputado estadual, governador, deputado federal, dois senadores e para presidente da República. A lista é longa, por isso é bom que todos nós já comecemos a definir em quem votaremos.

O filtro mais adequado é o voto faxina, com renovação e escolha de gente comprometida com os trabalhadores.

Se conseguirmos apenas isso já teremos andado um bom pedaço do caminho.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home