28/6/2018 - Não desista de votar! - José Pereira dos Santos

• 28/6/2018 - quarta-feira


José Pereira dos Santos - Presidente do Sindicato
dos Metalúrgicos de Guarulhos e Região
E-mail:
pereira@metalurgico.org.br
Facebook: www.facebook.com/PereiraMetalurgico
Blog: www.pereirametalurgico.blogspot.com.br

Muita gente que conheço diz que não vai votar nas próximas eleições. Outros dizem que vão votar em branco ou anular. Acompanho a política faz tempo, mas essa é a primeira vez em que constato rejeição em massa ao processo eleitoral.

Isso é ruim? Isso é péssimo, pois significa descrédito na democracia e no poder- cidadão, que só o voto livre é capaz de propiciar.

Meses atrás, a eleição para o governo do Amazonas teve uma enxurrada de votos brancos, nulos e de abstenções. Agora, o fato se repete no Tocantins, onde o governador eleito obteve menos de 30% dos votos.

Eu valorizo muito o voto. Sou da geração que viveu na ditadura e não podia escolher. Lutamos muito pra poder votar e, por isso, não aceito essa repulsa a um direito que nos custou enfrentamentos, perseguições, prisões e até vidas - caso emblemático do jornalista Vladimir Herzog.

Eu discordo, mas não tiro a razão dos que se sentem desalentados. Afinal, chegamos a essa situação devido aos maus políticos e a seus aliados, incluindo aí parte da grande mídia. Mas é errado desistir. Ao contrário. Temos de usar o poder do voto pra varrer da cena deputados, senadores, governadores e presidente da República que iludem o povo, servem à elite corrupta e traem o interesse nacional.

Alerto para uma ilusão frequente na fala de pessoas, ao alegar que votarão nulo ou em branco pra não eleger “nenhum desses safados aí”. Isso não funciona. Pelo sistema vigente, se elege sempre o mais votado ou quem se beneficia pelo voto dado a outro de seu partido (o tal coeficiente eleitoral). Ou seja, voto branco ou nulo beneficia o político profissional, que sabe manejar a regra eleitoral e tirar vantagem disso.

A democracia não é um sistema consolidado. Seu fortalecimento depende do engajamento dos cidadãos, na hora de votar, na hora de fiscalizar, na hora de exigir decência, coerência e eficiência dos eleitos. Não votar ou votar branco/nulo em nada ajudará. Pelo contrário: enfraquecerá o poder do cidadão e a própria democracia.

Campanha - Onde posso falar às pessoas, chamo atenção para o valor do voto e da participação cívica. Tenho defendido que a Força Sindical faça também esse chamamento. Essa é uma responsabilidade de todo sindicalista. Afinal, só estamos em nossos cargos porque alguém votou em nosso nome e confiou em nosso projeto.

Jovens - Aproveito esse espaço pra um chamamento aos jovens: não caiam no conto do vigário de algum salvador da Pátria. Tivemos essa infeliz experiência com a eleição de Collor, o falso caçador de marajás que levou o Brasil à beira do caos.

A democracia é o regime da liberdade. Mas é também o regime da paciência e da persistência. Não desista. Vamos, sim, usar a faca amolada do voto pra fazer do Brasil a Pátria que nosso povo quer e merece.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home