Ciro Gomes reafirma na Força Sindical que revogará lei trabalhista

• 12/6/2018 - terça-feira

“A lei trabalhista é selvagem e vai ser revogada”. O compromisso foi reafirmado por Ciro Gomes, pré-candidato do PDT a presidente da República, na manhã desta terça (12), em São Paulo, durante debate na Força Sindical. O encontro abre a série que a Central vai realizar com os presidenciáveis, a fim colocar a pauta trabalhista no centro do debate eleitoral deste ano. A conversa com o pedetista foi coordenada pelo secretário-geral da Força, João Carlos Gonçalves (Juruna).

Com o plenário lotado por sindicalistas de diversas categorias profissionais, como metalúrgicos, vestuário, químicos e portuários, o trabalhista voltou a defender a reindustrialização do País e a retomada urgente do crescimento econômico. Em sua opinião, a indústria brasileira não está sendo apenas desnacionalizada. Está em curso um processo de devastação do nosso parque produtivo. Para Ciro, “o setor privado, os trabalhadores e o Estado serão as forças ativas dessa retomada”.

Ciro criticou a dependência ao capital estrangeiro. “Todos os países que se desenvolveram construíram sua força econômica com base na poupança interna e em capital próprio”, afirma. Segundo o ex-governador cearense, o fortalecimento do mercado interno – com salários compatíveis, respeito a direitos, entre outras garantias – é indispensável para esse objetivo.


Ciro Gomes foi o primeiro presidenciável convidado para debate na Força Sindical

Reforma - Ciro Gomes reiterou que vai revogar a nova legislação trabalhista, que classifica de “selvageria” contra a classe trabalhadora. Ciro adiantou que pretende conversar com os diversos setores da sociedade, para encaminhar ao Congresso Nacional, com urgência, uma nova lei trabalhista.

Estado - Para o presidenciável, a presença estatal é indispensável nos setores estratégicos da economia, como óleo, gás e petróleo. Com relação ao acordo que está sendo negociado entre a Embraer e a Boeing, foi enfático: “Essa empresa não pode ser vendida ao capital estrangeiro”.

Ciro Gomes respondeu a todas as perguntas e ouviu reivindicações de cunho sindical, como a implantação da jornada de 40 horas; isonomia salarial entre homens e mulheres no mercado de trabalho; e erradicação do trabalho infantil.

Debates - Além de Ciro, a Força convidou mais sete pré-candidatos. Aldo Rebelo (Solidariedade) deve ser o próximo.

Mais informações: Juruna (99974.3547) e Vicente (assessor do Ciro) 97738.5617.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home