Eletricitários recebem apoio de diversas categorias no segundo dia de paralisação

• 12/6/2018 - terça-feira

A greve dos Eletricitários chega ao segundo dia e recebe apoio de diversas entidades. A categoria denuncia a ofensiva do governo Temer pela privatização da Eletrobras – estatal responsável por 37% do total da capacidade de geração de energia elétrica do País.

O movimento também combate a venda das distribuidoras de energia do grupo e espera fechar o dissídio coletivo com data-base em maio.


Funcionários da Usina de Marimbondo seguem de braços cruzados

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado do Ceará (Sindjorce) divulgou nota, manifestando total apoio à categoria. “Entendemos que apenas a união e mobilização dos trabalhadores conseguirá barrar o entreguismo”, diz o texto, que alerta para o anseio do governo em também privatizar a Petrobras e a Caixa Econômica Federal.

A Confederação Nacional dos Trabalhadores no Ramo Financeiro (Contraf-CUT) e a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) Também se manifestaram.

“Privatizar a Eletrobras significará deixar em mãos estrangeiras um setor estratégico para a economia brasileira. Além disso, acarretará aumento das tarifas para o consumidor”, afirma a presidente da Contraf-CUT, Juvandia Moreira.

Para o presidente da CNTE, Heleno Araújo, a empresa tem um papel estratégico da geração e a distribuição da energia para o desenvolvimento e a soberania do País.

O Sindicato dos Professores de Minas divulgou nota, afirmando que “a luta contra a privatização da Eletrobras representa a defesa da soberania do povo brasileiro frente a interesses privatistas”. “Em qualquer país independente, a gestão de uma empresa responsável por gerir um setor extremamente estratégico para o desenvolvimento não pode ficar sob o comando do mercado, que atua orientado somente pelo lucro”, diz.

A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) emitiu nota, assinada pelo presidente Adilson Araújo, assinalando que o setor energético é estratégico para o País e desempenhou um papel “fundamental nos anos de crescimento e ganhos para o nosso povo”.

Justiça - Após a desembargadora Giselle Bondim Lopes Ribeiro, do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região (RJ) manter na manhã de ontem (11) a liminar que suspendia por 90 dias o processo de privatização das distribuidoras da Eletrobras, o presidente do TRT-1, Fernando Antonio Zorzenon da Silva, derrubou a liminar. Com isso, o processo segue.

Congresso - Os eletricitários se reuniram nesta terça (12) com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Sobre o encontro, o coordenador do Coletivo Nacional dos Eletricitários (CNE), Emanuel Mendes, disse à Agência Sindical que “o parlamentar irá fazer a interlocução entre governo e entidades sindicais, para debater o projeto de privatização que tramita na Casa”.

Quanto à decisão do TRT-1 o dirigente disse que os jurídicos das entidades sindicais já entraram com recurso. “Vamos atuar em todas as frentes. Nossos advogados tentarão barrar as privatizações na Justiça, enquanto manteremos a categoria mobilizada”, afirma. 

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home