Convenções garantem benefícios especiais à mãe trabalhadora

• 11/5/2018 - sexta-feira

A Convenção Coletiva tem ajudado as entidades a resistir às maldades da lei trabalhista de Temer. Muitas cláusulas protegem as categorias, salvaguardando direitos e conquistas, inclusive para as mães trabalhadoras.

Por ocasião do Dia das Mães, domingo (13), destacamos os benefícios que algumas Convenções garantem à essas trabalhadoras, que que acumulam dupla ou tripla jornada.

Comerciárias - O presidente do Sindicato dos Empregados no Comércio de Guarulhos, Walter dos Santos, diz que a entidade pensa no bem-estar dos trabalhadores em geral, mas dedica atenção especial às mulheres. “Elas enfrentam situações diferentes dos demais trabalhadores”, diz.

“Temos uma atenção especial com as mulheres e principalmente a mãe comerciária. Nossa categoria possui muitas mulheres. Então, buscamos nas Convenções Coletivas contemplar todas elas, garantindo benefícios específicos para elas”, explica Walter à Agência Sindical.


Entidades sindicais têm cláusulas nas Convenções Coletivas que protegem a mãe trabalhadora

Walter cita o direito a 15 faltas justificadas por ano, que são destinadas para acompanhar filho ao médico; estabilidade de 75 dias após o retorno da licença maternidade; e cinco dias de licença para casamento (na lei são três).
 
“E nosso Sindicato distribui o Kit Bebê, uma cesta de itens para filhos com idade de zero a três meses. O kit é composto de 15 itens, todos indispensáveis ao bebê, como trocador de bolsa, termômetro digital, talco e sabonete. É uma ajuda e tanto para as mães”, explica o Walter.

Feaac - Outra entidade cuja Convenção contém vantagens específicas para as mães é a Federação dos Empregados de Agentes Autônomos do Comércio do Estado de São Paulo.

Ian Ferreira, assessor de comunicação da entidade, em entrevista à Rádio Web Agência Sindical, disse que a Feaac unificou a Convenção Coletiva dos filiados. “Para a mãe trabalhadora, temos o reembolso-creche, reembolso para quem tem filho com necessidades especiais e licença-maternidade para mãe adotante”, conta.

“Há também cláusulas que protegem a mulher em geral, não só a mãe. Nossa Convenção prevê igualdade salarial com os homens e assistência à mulher que estiver em programa de governo por conta da violência doméstica e familiar. Ela pode se afastar por até seis meses; quando retorna tem um ano de estabilidade”, explica.

Conheça a Convenção Coletiva da sua categoria. Procure sempre sua entidade. 

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home