12/4/2018 - Emprego é esperança e dignidade! - Miguel Torres

12/4/2018 - quinta-feira


Miguel Torres é presidente da CNTM
(Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos)
e do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo
e Mogi das Cruzes e vice-presidente
da Força Sindical. E-mail: migueltorres@metalurgicos.org.br

Desde sempre falamos que as medidas do atual governo eram impopulares e não iriam melhorar as condições econômicas e sociais da população brasileira. O congelamento dos investimentos sociais em saúde e educação, as privatizações indecorosas, a venda do patrimônio, dos setores estratégicos e das riquezas do País, a terceirização sem limites, a nefasta lei da reforma trabalhista e a tentativa de reforma na marra a Previdência Social são só alguns dos inúmeros exemplos destes descaminhos.

A renda da população está caindo, os empregos prometidos não foram gerados e os que foram criados não podem ser considerados como trabalho decente. Este cenário desolador tem levado a maioria das famílias brasileiras a desistir de comprar ou trocar de carro, de parar a reforma da casa e até de deixar de fazer poupança, entre outros projetos essenciais para o futuro e a garantia de uma vida digna para as atuais e futuras gerações.

E não somos apenas nós, representantes sindicais da classe trabalhadora, a apontar esta desesperança.

Segundo pesquisa do SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e da CNDL (Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas), divulgada no jornal Agora (edição de 8 de abril de 2018), o “desemprego atrapalhou os sonhos futuros de metade da população brasileira”. O levantamento mostra que “52,5% dos trabalhadores deixaram de lado algum sonho de consumo”.

Não iremos, porém, ficar só apontando os problemas. Temos compromisso com o futuro das crianças e dos jovens e iremos preparar – a partir do movimento Brasil Metalúrgico – um novo projeto de desenvolvimento para o País, que garanta a retomada do crescimento econômico com valorização dos setores produtivos, respeito aos direitos e conquistas históricas da classe trabalhadora e geração de empregos de qualidade para todos e para todas.

O projeto será encaminhado para os candidatos aos governos estaduais e à presidência da República e iremos acompanhar atentamente quem irá defender e se comprometer com esta pauta dos trabalhadores. Vamos continuar, enfim, lutando, resistindo e propondo mudanças.

É nossa responsabilidade. Está em nossas mãos!

A Luta faz a Lei!

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home