Carteiros de SP e Rio decidem manter paralisação após decisão do TST

13/3/2018 - terça-feira

Funcionários dos Correios de São Paulo e Rio de Janeiro aprovaram a manutenção da greve nacional iniciada segunda (12) contra a mudança no plano de saúde da categoria. Os trabalhadores retornaram ao trabalho nesta terça em outros Estados, como Bahia, Paraíba, Rio Grande do Sul, Tocantins e Maranhão.

A decisão foi tomada após o Tribunal Superior do Trabalho (TST) aprovar cobrança de mensalidades e coparticipação no pagamento do convênio médico. Pela decisão, o valor da mensalidade dependerá da renda do trabalhador. Pais dos funcionários serão mantidos no plano, porém, com mensalidades e coparticipação por um ano.


Sintect-SP reuniu a categoria em assembleia na segunda (12) após decisão do TST

Para Elias Cesário, presidente do Sindicato de São Paulo (Sintect-SP), “o julgamento do plano de saúde no TST foi um verdadeiro ataque aos direitos dos trabalhadores, rasgando até mesmo a jurisdição da casa e agredindo um direito histórico da categoria”.

Todas as mudanças valem a partir da publicação da decisão até 31 de julho de 2019. Em agosto de 2019, servidores dos Correios e a direção da estatal podem tentar um novo acordo sobre o plano de saúde.

Elias Cesário informa que o Sindicato está aguardando o acórdão da decisão para definir com a assessoria jurídica as novas estratégias de defesa dos direitos dos trabalhadores.

Em São Paulo, uma nova assembleia está marcada para quarta (14) às 11 horas, e no Rio de Janeiro quinta (15), às 10 horas.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home