Líder metalúrgico de São Paulo cobra Ministério do Trabalho forte

• 12/1/2018 - sexta-feira

A patifaria estabelecida por Temer e Roberto Jefferson na definição do comando da Pasta do Trabalho desgasta ainda mais o Ministério. Setores trabalhistas e sindicais reagem e cobram respeito ao chamado ministério da Revolução de 30, já dirigido por líderes como João Goulart.

A Agência Sindical publicou quinta (11) entrevista com João Vicente Goulart, filho de Jango. Nesta sexta (12), o líder metalúrgico paulista Miguel Torres, que também preside a Confederação da categoria (CNTM) e integra a direção nacional da Força Sindical, publicou o artigo “Por um Ministério forte e relevante!”, cuja exclamação já expressa a ênfase do apelo – texto pode ser lido no site da Agência.

O artigo trata como escândalo “a Portaria do Ministério do Trabalho que pretendia aliviar a barra dos empregadores que adotam o trabalho escravo”. Miguel Torres também manifesta indignação ante a crise gerada por Temer-Jefferson, “como se a Pasta fosse mero joguete político para desmandos do governo”.


Miguel Torres é entrevistado por João Franzin

O sindicalista conclui: “Queremos o Ministério do Trabalho e Emprego forte, fiscalizador e protagonista na luta contra a recessão e pela retomada do crescimento econômico, com respeito aos direitos sociais, previdenciários e trabalhistas, geração de empregos, distribuição de renda e inclusão social”.

Outros - A Agência repercutirá manifestações de outros sindicalistas e entidades, na linha do resgate do papel histórico do Ministério criado por Getúlio Vargas.

A TV Agência Sindical gravou entrevista com Miguel Torres sobre a importância do Ministério do Trabalho, que será veiculada em nosso site, na seção “Vídeo da Semana”. Aguarde.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home