4/9/2017 - Valorizar o sindicalismo

4/9/2017 - segunda-feira


João Franzin é jornalista
e diretor da Editora e Agência de Comunicação Sindical
E-mail: franzin@agenciasindical.com.br
Facebook: facebook.com/joao.franzin.1
WhatssApp Agência Sindical: (11) 94270.9363

Entre as organizações da sociedade, o sindicalismo é o único cuja ação é capaz de defender o emprego, assegurar condições de trabalho e fazer a renda do assalariado crescer.

Essa capacidade de ação tem duas bases. Primeiro, a própria essência do sindicalismo, que é a proteção da classe trabalhadora e o fortalecimento de seus espaços na sociedade e no Estado. Segundo, porque as entidades dispõem de recursos para sua manutenção, assistência à base, negociações e lutas.

O movimento sindical brasileiro cumpre bem suas tarefas básicas e, em muitas ocasiões, também ajuda os setores progressistas da sociedade nas lutas justas e nas demandas por cidadania efetiva.

Outra marca do sindicalismo nacional, nem sempre destacada, é a imensa folha de serviços e assistência prestados às categorias profissionais, com impacto positivo também junto às famílias e à coletividade.

Não falo só da assistência jurídica, que é fundamental. Muitos Sindicatos possuem departamento médico, têm gabinetes odontológicos, contam com colônia de férias, investem em atividades esportivas, mantêm escolas profissionalizantes, amparam entidades de aposentados, bancam projetos de inclusão social, e assim por diante.

Ou seja, o sindicalismo atua no marco civilizatório e, em muitos casos, propicia ao trabalhador da base o acesso a bens e serviços que o capitalismo não garante e o Estado nega, com tantos desperdícios e capitulação frente aos interesses privados e privatistas.

Nesses 26 anos de Agência Sindical, mas, principalmente, nos últimos 10 anos, temos procurado massificar o conceito positivo do movimento sindical. Em nossos materiais e na rede de comunicação, martelamos ideias como “o Sindicato luta”; “o Sindicato apoia”; “o Sindicato organiza”; “o Sindicato agrega”; “o Sindicato conquista”; “o Sindicato ajuda”; “o Sindicato melhora”; “o Sindicato oferece” – entre outros. E por que isso? Porque é simplesmente a verdade.

Portanto, neste momento de fortes e covardes ataques neoliberais aos direitos dos trabalhadores e ao sindicalismo, parece ainda mais urgente massificar a ação sindical, suas lutas, suas vitórias e seus serviços. É o que faremos em setembro, no programa Repórter Sindical, com a série “Sindicalismo e benefícios”. É um gesto que pode estimular outras, e muitas, iniciativas.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home