Confederações ampliam luta em defesa dos direitos dos trabalhadores

12/5/2017 - sexta-feira

As Confederações de trabalhadores atuarão em várias frentes, nos próximos dias, com o intuito de fortalecer a luta contra as reformas. Segundo Artur Bueno de Camargo, presidente da CNTA Afins e coordenador do Fórum Sindical de Trabalhadores (FST), o objetivo "é destruir esses monstros criados para atacar a classe trabalhadora e o movimento sindical”.

Dirigentes das Confederações que compõem o FST fizeram plenária na quinta (11), em Brasília. “Tivemos um encontro positivo, que deliberou sobre ações políticas e jurídicas que empreenderemos”, explica.


Artur Bueno

Entre as ações políticas, está a participação na ocupação de Brasília, marcada para o dia 24 de maio. “A indicação é que as Confederações joguem pesado para mobilizar dirigentes e trabalhadores. Temos pouco mais de dez dias para organizar o movimento, mas jogaremos força total para que a manifestação seja forte e representativa”, afirma Artur.

Concomitantemente, segue o corpo a corpo com senadores e deputados para que se posicionem contrários às reformas. “Sabemos que a maioria está amarrada ao governo, inclusive por meio de compra de votos, mas acreditamos na possibilidade de reverter a situação”, comenta.

Emendas – Outra decisão é a proposta de emendas a serem apresentadas nas audiências públicas do Senado sobre a reforma trabalhista. “Faremos uma série de emendas, que passam longe de serem conciliatórias", antecipa o dirigente.

"Nossa intenção será destruir essa reforma. Se eles querem gerar empregos, iremos propor, então, a jornada de 40 horas. Nosso empenho será dirigido a realmente colocar fim nestas reformas. Essa é nossa posição política e de luta definida nas discussões em Brasília”, finaliza.

Mais informações: www.fstsindical.com.br  

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home