Metalúrgicos da CUT preparam greve forte para 28 de abril

13/4/2017 - quinta-feira

Se depender da Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT (CNM), a greve do dia 28 de abril será forte, geral e nacional. Quem faz essa avaliação é Paulo Cayres, prensista da Ford e atual presidente da entidade.

A Confederação já vem realizando diversos atos em fábricas do setor, ao mesmo tempo em que participa de outras ações promovidas pelo movimento sindical. Um desses atos aconteceu dia 8, em São Bernardo do Campo. Cayres diz: “Fomos muito bem recebidos. Muitos vinham até nós pegar material e levar pra casa. O sentimento contra as reformas cresce a cada dia. As pessoas já percebem que o golpe foi dado contra os trabalhadores e o povo”.

Paulo Cayres também participou da manifestação
Paulo Cayres durante manifestação em São Bernardo do Campo

Esquenta - Segundo Paulo Cayres, a CNM-CUT fará uma jornada de grandes mobilizações nas montadoras e cadeia produtiva ligada ao setor, a partir do dia 24. A ideia é chegar ao 28 de abril, dia da greve, com a categoria motivada e mobilizada. O foco dessa jornada será o combate à terceirização. “Sem a lei, já havia abusos. Agora, com a aprovação do PL pela Câmara e a sanção de Temer, queremos barrar esse avanço”. As demais bandeiras da greve - contra a reforma da Previdência e o desmonte trabalhista - também serão agitadas.

Ampla - Para o dirigente, a tarefa até o dia 28 será “transformar em luta o que hoje é indignação”. Ele defende ações amplas, como outras Centrais e também a CNTM – ligada à Força Sindical. “Temos feito ações conjuntas. As reformas lesam toda a classe trabalhadora, todos os segmentos, independentemente da corrente da entidade de classe”, diz.

Artistas - Diversos artistas, com Wagner Moura e Camila Pitanga, têm se manifestado contra as reformas neoliberais de Temer. Para Cayres, esse tipo de manifestação amplifica o alcance dos protestos. Ele conta: “Temos também buscado dialogar com os jovens e os movimentos populares. O engajamento do jovem é fundamental para esta e outras lutas futuras”.

Mais informações: www.cnmcut.org.br

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home