17/8/2016 - Agência Sindical e candidatos

17/8/2016 - quarta-feira

João Franzin é jornalista
e diretor da Editora e Agência de Comunicação Sindical
E-mail:
franzin@agenciasindical.com.br Facebook:
facebook.com/joao.franzin.1

João Franzin

Como sempre, e este ano também, muitos sindicalistas concorrerão às eleições, a cargos diversos.

Entre esses tantos, muitos são amigos, de longa data, ou integram entidades para quem a Agência Sindical trabalha.

Mas a Agência não faz campanha eleitoral partidária, por não ser da natureza do nosso trabalho ou pelo fato de que campanha requer dedicação plena e conhecimento especializado.

Ainda assim, naquilo que for amizade, círculo pessoal de relações, a Agência ajuda no que pode, abre espaços, divulga propostas, publica artigos de candidatos, apresenta o candidato a outras entidades etc.

Geralmente, a maioria vai despreparada para a disputa, com poucos recursos, sem equipe, sem equipamentos. Ou, pior ainda, sem discurso convincente, sem compromissos claros, sem poder real de disputar o voto no mercado eleitoral, onde o peso do nome, do dinheiro, da estrutura e dos compromissos influi no resultado final.

Há muito tempo, a Agência defende que as Centrais reforcem a formação, identifiquem quem tem vocação política e, dentro do possível, apoiem esses candidatos. Isso até que é feito, mas sem regularidade, profissionalismo e o necessário investimento (e paciência) que o ciclo de formação política requer.

A essa altura, com os candidatos já correndo afoitos atrás do eleitor, não há mais como organizar campanhas, dar um padrão político e de discurso aos candidatos. Sem esse treino prévio, veremos, mais uma vez, candidaturas erráticas e perda de oportunidade de marcarmos o pleito com discurso e propostas trabalhistas.

Haverá sindicalistas eleitos? Sim e por diversas razões. Seja pela qualidade pessoal do dirigente, por seu histórico, pela força da aliança e, também, em razão do volume de dinheiro e recursos na campanha - que será o caso de poucos. Mesmo assim, o arco sindical será residual frente aos resultados da política profissional, ancorada no dinheiro ou no tempo de exposição em rádio e TV.

Ainda que sem o alcance dos grandes veículos, vale colocar em debate a participação sindical nas eleições deste ano, seja com candidaturas próprias ou por meio de alianças. É o que fará o programa “Repórter Sindical na Web”, em seu retorno ao vivo, no mês de setembro, toda quinta, das 20 às 21 horas.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home