• 28/3/2016 - A revolução dos bichos



Walter dos Santos

Walter dos Santos
é presidente do Sindicato dos Comerciários de Guarulhos
E-mail:
presidente@comerciarios
deguarulhos.org.br
r
Facebook:
facebook.com/
walterdossantos.902

A Em 1945, o inglês George Orwell (1903-1950) lançou o livro “A Revolução dos Bichos”, sátira da União Soviética. No enredo, os animais se rebelam contra os humanos e assumem o controle da fazenda para tornar real um sonho: serem governados por eles próprios, os animais, sem a submissão e exploração do homem. As regras de convivência baseiam-se no princípio da igualdade entre eles e os tempos prósperos que estavam por vir, deixando os demais animais extasiados com as possibilidades.

Ocorre que, com o passar do tempo, os porcos burlaram as normas e passaram a se locupletar das benesses do novo regime.
Para justificar o tratamento diferenciado que recebiam, alteraram um dos mandamentos, que passou a vigorar com a seguinte redação: “Todos os animais são iguais, mas alguns são mais iguais que os outros”.

No final, os animais, ao olhar para dentro da casa antes pertencente aos humanos e onde os porcos passaram a viver em considerável luxo em relação aos demais animais, viam o chefe dos porcos e seus colegas suínos jogando carteado com humanos donos de granjas vizinhas e celebrando a prosperidade econômica que seus acordos proporcionavam. Numa visão confusa, os animais já não conseguiam distinguir os porcos dos homens.

E assim é em nossos tempos. Somos os animais que acreditaram em um sonho. Nos venderam a ideia de que agora o Brasil iria decolar, que as possibilidades de crescimento eram enormes, que todos teriam de tudo. Mas, os porcos se juntaram aos homens de antes e nós, os bichos, ficamos olhando.

Cadê os ideais de outrora? Cadê o desprendimento e a fibra de lutar por um Brasil do futuro? Se perderam. Nos resta assistir ao banquete
entre porcos e homens.

Foi contra isso que os brasileiros saíram às ruas aos milhões, no dia 13 de março e deram uma lição de cidadania. Protestaram com educação, pediram o direito de uma política justa, sem corrupção.

Não é só o PT, partido no governo da vez, é o sistema político corrupto, enlameado, que move os protestos e também é errado dizer que essa é uma indignação da classe média. Não é, pois todos os brasileiros estão muito bravos com toda a classe política, com a oposição, com PSDB e outros Pês da vida.

O asfalto deu um basta, resta saber se a classe política ouvirá ou se Dilma se fingirá de morta, Lula dirá que nada sabe e a oposição fará de conta que não é com ela e nós, os bichos, ficaremos olhando todos os porcos, no Congresso, no Planalto, nos Estados, nas Prefeituras, se locupletando às custas de um sonho que se perdeu pelas benesses do poder.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home