22/2/2016 - Pela correção da tabela do imposto de renda



Walter dos Santos

Walter dos Santos
é presidente do Sindicato dos Comerciários de Guarulhos
E-mail:
presidente@comerciarios
deguarulhos.org.br
r
Facebook:
facebook.com/
walterdossantos.902
A estratégia do governo de não realizar nenhuma correção na tabela do Imposto de Renda em 2016 (que o contribuinte vai declarar em 2017) fará com que paguemos ainda mais IR. Simulações feitas pelo Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT) mostram que, se a tabela de base de cálculo fosse ajustada ao menos em 4,5%, como nos últimos anos, o valor da “mordida do leão” no ano seria de 5% a 26% menor, dependendo da faixa salarial.

Segundo estudo do Sindifisco Nacional, a defasagem acumulada entre a inflação e a correção da tabela chegou a 72% nos últimos 20 anos. Somente no último ano houve uma defasagem média de 4,81%. Hoje só não paga Imposto de Renda na fonte quem ganha até R$ 1.903,98 mensais. Se a tabela tivesse sido corrigida nos últimos anos, acompanhando sempre a inflação, o limite de isenção estaria em R$ 3.250,00, segundo o IBPT.

Esse descompasso acaba afetando, sobretudo, os brasileiros de menor renda, que com os reajustes nos salários, ainda que pequenos, acabam saindo do universo de isentos ou mudando de faixa de contribuição e se enquadrando em alíquotas mais elevadas.

Isso configura um roubo no bolso do trabalhador. Conseguimos nos proteger, às vezes, do ladrão que vem arrancar nosso dinheiro à força, mas do governo não tem como, ele vem e leva mesmo, sem dó nem piedade.

Às vezes vemos gente reclamando de pagar R$ 20,00 para o Sindicato, que mostra o que faz, que oferece serviços sociais de qualidade, dentista, clube e ainda luta diariamente pelo trabalhador – mas poucas vezes vemos as pessoas reclamando que o governo não corrige a tabela do Imposto de Renda.

O pior é que o governo não oferece quase nada em troca. A educação é ruim, os hospitais são uma lástima, a segurança pública é um desastre. Vivemos em um País de obrigações, onde nossos direitos não valem muita coisa. Nem saúde pública temos mais. Doenças explodindo pelo Brasil afora, como a tal da zika, coisa de lugares onde não se controla a proliferação de um mosquito, coisa de lugares onde impera o descaso, de todos nessa situação, população e governo.

Não podemos aceitar, não podemos desistir do Brasil. Temos de lutar e vamos lutar por um País melhor, porque não temos outro. Dona Dilma, nós queremos a correção da tabela do Imposto de Renda. Se a senhora está precisando de mais dinheiro para cobrir os rombos no seu orçamento, arranque dos banqueiros, que vêm batendo recordes de lucros, arranque dos milionários, não dos trabalhadores, que já vêm sofrendo com a inflação e o desemprego.

Não queremos saber de crise, queremos saber de soluções para a situação em que a senhora nos colocou.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home