Quarentena já está em vigor em SP. Confira o que abre e o que fecha

• 24/3/2020 - terça-feira

Terça, 24, começa a valer a quarentena de 15 dias decretada pelo governador João Doria (PSDB) em todo o Estado de São Paulo. O decreto, anunciado sábado (21), vale para 645 Municípios.

A medida tem validade até 7 de abril e impõe o fechamento de estabelecimentos comerciais que não estejam entre os serviços essenciais de alimentação, saúde, abastecimento, limpeza urbana, segurança pública e bancos. O decreto recomenda que a circulação de pessoas se limite às necessidades imediatas de alimentação, cuidados de saúde e atividades essenciais.

Padarias podem funcionar, mas sem consumo de alimentos no local

A quarentena visa conter o avanço do novo coronavírus em São Paulo. Segundo o Ministério da Saúde, até a segunda (23) foram confirmados 1.891 casos e 34 mortes por Covid-19 em todo o País. O estado de São Paulo é o mais afetado, lidera com 745 casos e 30 mortes.

Fechados - Por isso, lojas, bares e restaurantes, cafés e lanchonetes deverão fechar a partir desta terça. Estabelecimentos que servem alimentos e bebidas em mesas ou balcões só poderão atender pedidos por telefone ou serviços de entrega.

Liberados - Ficam fora da quarentena hospitais, clínicas médicas e odontológicas e farmácias. Também continuam abertos os postos de combustíveis, oficinas mecânicas, transporte público, táxis, aplicativos de transporte, serviços de call center, pet shops e bancas de jornais.

Confira abaixo os setores que estão autorizados a funcionar:

Fecham as portas:

Comércio;

Bares;

Restaurantes;

Cafés;

Casas noturnas;

Shopping centers e galerias;

Academias e centros de ginástica;

Espaços para festas, casamentos, shows e eventos;

Escolas públicas ou privadas;

Praias - restrição total de acesso à faixa de areia na Baixada Santista, incluindo barracas, cadeiras, guarda-sol e ambulantes na orla.

Podem continuar funcionando:

Hospitais, clínicas, farmácias e clínicas odontológicas;

Transporte público, táxis e aplicativos de transporte;

Transportadoras e armazéns;

Empresas de telemarketing;

Petshops;

Deliverys;

Bancas de jornais;

Bancos, lotéricas e correspondentes bancários;

Postos de combustível;

Limpeza pública;

Supermercados, mercados, açougues;

Padarias não poderão permitir o consumo no estabelecimento.

Informações - Acesse o site do Governo de SP e da Prefeitura.
Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home