Greve dos Servidores da cidade de São Paulo mobiliza 62% da categoria

• 11/11/2019 - segunda-feira

Mais de 8 mil servidores de São Paulo do nível básico e médio aderiram à greve da categoria iniciada na terça (5). 

A categoria é formada por mais de 12 mil agentes de apoio, assistentes de gestão de políticas e assistentes de suportes técnicos, entre outros trabalhadores, que fazem o atendimento administrativo e operacional. Desses, 65% “cruzaram os braços” por uma reestruturação da carreira e valorização da categoria. 

Servidores se reuniram quinta em frente à Prefeitura após reunião com gestores

À Agência Sindical Sergio Ricardo Antiqueira, presidente do Sindicato da categoria (Sindseps), afirma que desde 2013 os trabalhadores não têm reajuste salarial e desde 2003, não têm plano renovado de cargos. Ele explica: “As perdas salariais acumuladas já superam 39%. Além disso, a Prefeitura não convoca os 700 aprovados em concursos públicos, mesmo com um déficit que ultrapassa 4 mil funcionários”. 

A fim de resolver o problema de reestruturação de carreira, dia 15 de outubro o Sindicato apresentou proposta de reestruturação de carreira, a fim de garantir ganhos a todos os setores e corrigir distorções ao longo da vida profissional. Mas a proposta não foi aceita pela Prefeitura. 

Antiqueira relatou que os representantes do gabinete de Gestão sustentam proposta de reestruturação a ser enviada para a Câmara Municipal excluindo os inativos. “Essa proposta, exclui 60% dos trabalhadores. Portanto, houve a ruptura no processo de negociação e a greve foi o resultado”, diz o sindicalista.

Assembleia – Terça (12), a categoria volta a se reunir, às 14 horas, em frente à Prefeitura, para decidir os rumos do movimento.

Mais – Acesse o site do Sindsep
Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home