Agentes de segurança fazem ato unitário pela valorização da categoria

• 7/11/2019 - quinta-feira

Policiais Militares, Civis e Técnico-científicos, Agentes de Segurança, Escolta e Vigilância Penitenciária protestaram segunda (4), no Centro de SP, contra reajuste salarial de 5% oferecido pelo governador João Doria (PSDB) e pela valorização das categorias. Convocados por seus respectivos Sindicatos, mais de 10 mil trabalhadores participaram de ato.

Ao longo do trajeto, iniciado em frente ao Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa e até na Secretaria de Segurança Pública, os agentes carregaram caixão com o nome dos três últimos governadores do Estado: Serra, Alckmin e Doria. Todos do PSDB.

O protesto, liderado pelo Sindicato de Delegados de Polícia de SP (Sindpesp), em conjunto com parlamentares e outras entidades representativas da categoria, chamou a atenção para a situação de penúria dos agentes de segurança do Estado, que sofrem com remuneração baixa, defasagem de efetivo, equipamentos sucateados e falta de diálogo com o Governo do Estado.


Delegada Raquel diz que o movimento é histórico e defende a valorização da categoria

À Agência Sindical, Raquel Gallinati, presidente do Sindpesp, diz que a união das forças de segurança pública é inédita. “Unimos forças para exigir respeito. Precisamos de uma estrutura não só de salário, mas para a contratação de policiais, em armamento e equipamentos”, disse a delegada.

Segundo Raquel, ao longo de sua campanha política e de seus dez meses de mandato, Dória se comprometeu a implementar um pacote de melhorias, mas nada fez. “Isso é menosprezo, o descaso e a irresponsabilidade com a população a partir do momento em que ele não valoriza os integrantes de segurança pública”, conclui a delegada.

Durante a campanha eleitoral, em 2018, Doria afirmou que o Estado ofereceria o segundo melhor salário dentre as polícias do Brasil, perdendo apenas para o Distrito Federal. Porém, de acordo com levantamento feito pelo Sindpesp, as forças de segurança Paulistas recebem um dos piores ordenados do País, ficando à frente apenas de Pernambuco.

 O último aumento de salário foi concedido em 2013. De acordo com cálculos do Sindicato, somente para a recomposição salarial dos profissionais seria necessário um índice de aumento em torno de 50%.

Após os protestos, a proposta deverá ser entregue à Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) nos próximos dias.

Mais - Acesse o site do Sindpesp.

http://www.agenciasindical.com.br/sites/arquivos/uploads/11923.jpg
Protesto reuniu mais de 10 mil agentes de segurança
Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home