Plenária nos Metroviários de SP reforça defesa dos direitos e da unicidade

• 4/11/2019 - segunda-feira

Dirigentes de Centrais, Confederações, Federações e diversos Sindicatos lotaram na manhã desta segunda (4) a quadra dos Metroviários de São Paulo. O ato unitário lançou a campanha de massificação do Projeto de Lei 5.552, que aperfeiçoa a estrutura sindical, mas não quebra o Artigo 8º da Constituição ou outras garantias constitucionais.


Dirigentes lotaram a quadra dos Metroviários em São Paulo

Organizada pelas Centrais CTB, CGTB, Nova Central e o Fórum Sindical dos Trabalhadores, a plenária também aprovou várias deliberações - entre as quais massificar nas redes das entidades e junto às categorias o conteúdo de um Projeto que mantém direitos e não desmonta a estrutura sindical. Outra deliberação é os dirigentes procurarem os deputados de suas regiões e os senadores de cada Estado.

Claridade - “Queremos trazer o debate para a luz do sol. Quanto mais debatermos melhor para o entendimento do trabalhador e dos próprios parlamentares. O encaminhamento fechado, em pequenos grupos, não é o melhor. Se é do interesse dos trabalhadores e da sociedade, por que não massificar a discussão?”, pergunta Oswaldo Augusto de Barros, presidente da CNTEEC e coordenador do Fórum - FST.

Categorias - A lista de presença colheu cerca de 240 assinaturas de dirigentes ligados a mais de 30 categorias - metalúrgicos, metroviários, rodoviários, professores, bancários, servidores, marítimos, urbanitários, comerciários, vestuário, além de aposentados. Havia cerca de 120 entidades presentes, de sete Estados. O Projeto de Lei 5.552, apresentado pelo deputado Lincoln Portela (PL-MG), mantém a representação por categoria.

Ao falar sobre unicidade versus pluralidade, o dirigente dos Eletricitários de São Paulo, Eduardo Annunciato (Chicão) comentou que “a unicidade garante a convivência da diversidade de pensamentos e correntes, enquanto a pluralidade leva para o sindicalismo de tendências, o que fraciona a organização e desorienta as categorias”.


O ato reuniu centenas de sindicalistas de mais de 30 categorias

Calixto - Segundo o presidente da Nova Central Sindical de Trabalhadores e da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Indústria (CNTI), “a organização sindical unitária foi reafirmada não só pela Constituição de 1988, como também pela reforma constitucional cinco anos depois”. Para Calixto, “a assinatura de acordos e Convenções para toda a categoria traz ganhos ao trabalhador e segurança jurídica para o empregador”.

MAIS - A Agência Sindical transmitiu ao vivo a plenária (acesse aqui). Mais informações/vídeos em nosso site, Facebook e também no YouTube da Agência Sindical, CTB, Fórum Sindical dos Trabalhadores e outras entidades articuladas na frente em defesa do Artigo 8º da Constituição Federal.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home