Dirigente potiguar alerta Bolsonaro sobre discriminação a nordestinos

• 8/8/2019 - quinta-feira

Ele é de Angicos, no Rio Grande do Norte. Tem um histórico de trabalho pesado, em salinas, empresas de derivados de minérios e postos de combustíveis. Seu nome é Francisco Soares de Souza, o Chico do Frentistas - um dos fundadores da categoria e presidente do Sindicato em Campinas e Região.

Na quarta, dia 7, Chico abriu a série de programas do Repórter Sindical - da Agência Sindical - sobre sindicalistas de origem nordestina. O objetivo do programa, frente ao ataque gratuito de Bolsonaro a governadores e governados do Nordeste (por ele chamados de “paraíbas”), é mostrar a contribuição de homens e mulheres nordestinos ao sindicalismo brasileiro e à Nação.

Para o dirigente frentista, “Bolsonaro foi infeliz, preconceituoso e agressivo”, o que, em sua avaliação, “afronta o papel de um presidente eleito, que deve governar para todos e nunca estimular a divisão entre a população”. Francisco Soares de Souza diz: “Tenho orgulho de minha história. Tenho orgulho do povo nordestino, que ajudou a expulsar invasores de nosso País e ocupou o território desabitado rumo ao Norte”.

O sindicalista frisou que, entre os Frentistas, uma grande parte tem origem no Nordeste. A  profissão é dura, ele diz. “Lidamos com benzeno, que é altamente tóxico. Numa jornada, de uma bomba pra outra, o frentista percorre quilômetros. Se não fosse a gente, as madames teriam que pegar na bomba pra encher o tanque do carro, correndo o risco de acidentes e contaminação”.

Próxima - Na quarta, dia 14, outro dirigente de origem nordestina será entrevistado.

YouTube -
A entrevista com o dirigente potiguar frentista pode ser assistida em nosso Canal no YouTube.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home